Página Inicial » Treinos » Funcional » Pliometria, conceito, aplicação e cuidados a serem tomados

Pliometria, conceito, aplicação e cuidados a serem tomados

A pliometria deixou de ser um método de treinamento exclusivo de atletas e passou a ser amplamente utilizada em academias e centros de treinamento.

Não é difícil encontrarmos pessoas treinando que estejam utilizando saltos sequenciais, séries de potencia e outras maneiras de estimular seus músculos. Muitas vezes, estes treinos são baseados em um método que ficou bastante conhecido, mas que já é usado há muitas décadas, a pliometria.

Este método originou-se na antiga União soviética,  na década de 60, tendo como seus principais difusores Popou, Verchighanskij e Yuri Verhoshansky.   

pliometria exercícios e benefícios

YESSIS (1991) considera  que a pliometria é um trabalho que combina a força com a velocidade, de forma a se utilizar, o mais rápido possível, a força que a pessoa possui.

São chamados de pliométricos os exercícios que utilizam o reflexo de alongamento, seguido de contração, para produzir uma reação explosiva.  

Um exemplo simples são os exercícios que utilizam o peso corporal, contra a força da gravidade para conseguir exercer força contra o solo são conhecidos como exercícios de salto em profundidade, muito usados em treinos de pliometria. Os saltos em profundidade são realizados pulando-se de um banco com altura variável.  Ao tocar o solo, ocorre uma contração excêntrica nas musculaturas que são responsáveis pela extensão  do joelho.
Durante a fase de amortecimento, o fuso muscular acaba sendo estimulado e o reflexo miotático faz com que ocorra uma contração imediata, impedindo desta forma a transformação brusca no comprimento do  músculo solicitado.

Leia também: Exercícios com o peso do corpo, como utilizá-los da maneira correta?

Apesar de ocorrer um alongamento reduzido na fase da contração excêntrica, os componentes elásticos  dos músculos armazenam o que chamamos de energia elástica e a utilizam na passagem para a fase da contração concêntrica. Desta forma,  a transição das contrações deve acontecer da maneira mais rápida possível, para que esta energia não seja dissipada.    

Mas Será que todos podem usar este tipo de treinamento? Quais os objetivos que fazem com que seja possível obter ganhos com a pliometria? Existem cuidados específicos para este treinamento? É o que vou responder!

Pliometria, público alvo e cuidados a serem tomados

Como vimos acima, a pliometria é um método usado para um objetivo específico: o aumento da potência muscular. Por ele ser um método altamente intenso e que promove bastante desgaste físico, acabou popularizando-se como um método de trabalho para outros fins.

Perceba que a pliometria é usada principalmente em esportes de potencia, dentro de um contexto de preparação física. É lógico que existem pessoas que acabam tendo benefícios com este método de treino, mas no geral, ele é usado em melhoras de rendimento no esporte.

Leia também: Treinamento de pliometria para corredores

Como seu objetivo é considerado específico, a pliometria precisa ser usada depois de uma periodização de base. Desta forma, aumentamos os ganhos e minimizamos os riscos de lesão.

Mas então, quem não é atleta e não busca melhora de rendimento, não deve usar a pliometria?

Existem sim, várias situações onde o treinamento pliométrico é indicado, mesmo para pessoas que não sejam atletas!

De maneira geral, a pliometria pode ser usada para melhorar a coordenação motora, a funcionalidade e a capacidade de deslocamento. Por isso, no treinamento funcional é muito comum vermos trabalhos pliométricos. Além disso, por ser focada em uma meta diferente, a pliometria também pode ser usada para a quebra de platô de desenvolvimento, dentro da especificidade do que você treina.

Lembre-se que a base da pliometria é o ciclo alongamento-encurtamento e que isso não se restringe apenas aos saltos. Existem maneiras de treinar a pliometria diferenciadas, para membros superiores e tronco.

No caso específico da hipertrofia, existem muitas pessoas que preconizam saltos em exercícios como agachamento, dizendo que este é um trabalho pliométrico. Perceba que em muitos casos, a simples utilização de saltos não implica no processo de alongamento-encurtamento dos músculos solicitados, portanto, este não é um treino pliométrico.

Para a hipertrofia, geralmente usamos alguns tipos de treinamento pliométrico com o objetivo de quebrar algum platô de desenvolvimento, mas este método não é muito eficiente para maiores ganhos.

Leia também: Pernas mais fortes com o treino pliométrico!

No caso do emagrecimento, a utilização da pliometria é grande e em alguns casos, pode ser bastante eficaz. Porém, você precisa entender que o objetivo deste tipo de treinamento não é esse e que existem treinos mais eficientes.

Além disso, qualquer treinamento pliométrico deve ser evitado por pessoas destreinadas, já que ele produz uma alta solicitação muscular, que pode gerar lesões. Outro ponto a ser considerado, é que alguns exercícios podem produzir grande impacto articular e devem ser prescritos dentro das individualidades de cada pessoa.

Abaixo um vídeo com exercícios de pliometria

No geral, a pliometria é um treino altamente eficiente, desde que seja usado para os objetivos corretos. Apenas fazer por fazer, porque é moda, é um risco grande para sua saúde. Em muitos casos, o treinamento pliométrico pode ferir o principio da especificidade do treinamento, pois está sendo usado para um objetivo que não é o dele! Leve sempre isso em conta! Bons treinos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!