Página Inicial » Suplementos » Ornitina – Para que serve, benefícios, efeitos colaterais e como tomar

Ornitina – Para que serve, benefícios, efeitos colaterais e como tomar

Tiramos todas as dúvidas sobre o aminoácido L-ornitina. Fontes em alimentos, suplementação e manipulados, e sua combinação com a arginina.

Ornitina

O que é?

A ornitina (também chamada de L-ornitina) é um aminoácido básico cristalino ou xaroposo, produzido pelo organismo junto com uréia na hidrólise de arginina, que desempenha um papel importante no metabolismo das proteínas.

A ornitina é considerada um aminoácido não-essencial para o funcionamento do organismo, o que significa que você não precisa obtê-lo a partir de fontes de alimentos, pois o nosso corpo em situações normais, já sintetiza quantidades suficientes da ornitina, a partir de outros aminoácidos, de acordo com suas necessidades.

Para que serve?

A principal função da ornitina no organismo é participar do ciclo da uréea, via pela qual a ureia é removida dos aminoácidos e eliminada do corpo através da urina. Além do mais, é também convertida no aminoácido L-arginina, do mesmo modo que o inverso também pode acontecer.

A ornitina é bastante utilizada para evitar danos ao fígado e como suplemento alimentar em formulações contendo outros aminoácidos, como a lisina e a arginina.

Leia também => L-Lisina: Para que serve, benefícios e fontes em alimentos

No entanto, durante algumas situações especificas como: períodos de estresse, trauma, doenças, desnutrição ou até mesmo gravidez, o seu corpo pode não ser capaz de atender às suas demandas nutricionais, necessitando de suplementação alimentar.

A ornitina também é utilizada para hipertrofia muscular. Para entender essa função é preciso saber que, o balanço de nitrogênio presente em nosso organismo demonstra a quantidade de nitrogênio que o corpo excreta em comparação ao quanto ele ingere e quando a ingestão supera a excreção, tem-se um equilíbrio positivo de nitrogênio e o crescimento muscular eficaz.

O contrário gera o balanço nitrogenado negativo, perda de massa muscular e, caso o nitrogênio falte em nossos órgãos, podemos desencadear problemas de sérios de saúde. A função da ornitina é exatamente controlar a eliminação do nitrogênio do corpo.

Quando consumida em grande quantidade, a ornitina pode estimular a liberação do hormônio do crescimento (GH), incrementa massa muscular, causando um aumento do desempenho de atletas praticantes do fisiculturismo, devido a isso, ela é bastante vendida como suplemento, geralmente combinada com a lisina e arginina.

Benefícios

Tratamentos

A ornitina é usada na forma de tratamento de traumas, queimaduras, infecções e até câncer. Isso foi observado em estudos com pacientes que se recuperavam de cirurgias, infecções generalizadas, câncer e trauma, pois ela ajuda a manter os tecidos e músculos do corpo, porém são tratamentos acompanhados por especialistas de saúde.

Ganho de massa muscular e definição

É bastante utilizada também por atletas fisiculturistas para hipertrofia muscular e redução da gordura corporal, principalmente quando é combinada com arginina.

Por estar vinculada a produção de GH, a ornitina pode ser eficaz na perda de gordura, pois a suplementação com esse aminoácido ajuda a manter o peso sob controle.

Saúde do figado e previne o envelhecimento

Auxilia no bom funcionamento do fígado  e ajuda a prevenir o envelhecimento precoce.

Alguns estudos relatam que o consumo de ornitina e arginina como suplementos alimentares não se associa a mudanças na massa magra ou função muscular, exceto em indivíduos em situações especiais (como trauma ou queimadura), nos quais a suplementação pode reduzir a perda muscular.

Ainda nesses estudos é relatado que apenas a infusão venosa é capaz de promover maior liberação do GH.

Principais fontes nos alimentos

A L-ornitina pode ser encontrada em alimentos de origem animal como carnes em geral, peixes, ovos, leite e derivados.

Como suplemento, a L-ornitina pode ser manipulada na forma de cápsulas, comprimidos e pós, sozinha ou em associação com outros aminoácidos, como a L-arginina.

Os nutrientes utilizados para fazer a ornitina são encontrados em alimentos ricos em proteínas.

É importante observar que as chances de se desenvolver deficiência de ornitina são praticamente nulas.

Possíveis efeitos colaterais

Quando consumidas por um curto período, a ornitina não causa efeitos colaterais.

Porém, se administradas por um longo período podem não promover o crescimento muscular. Isso acontece porque nenhum suplemento trabalha sozinho e é preciso fazer essa suplementação combinada com uma dieta rica em proteínas, mineras e vitaminas que potencializam o metabolismo proteico que resulta na hipertrofia.

Além disso, a arginina e ornitina são famosas por causarem surtos de herpes. Outros Relatos com o uso:

  • aumento de stress;
  • crescimento excessivo;
  • má formação óssea facial;
  • edemas e inchaços nas articulações;
  • devido a um constante estímulo na glândula pituitária, essa ode apresentar um mau funcionamento.

Outros efeitos colaterais relatados são:

  • insônia;
  • inquietação;
  • irritação estomacal;
  • desconforto gastrointestinal e diarreia.

Contraindicações

Esses suplementos são contra indicados para:

  • diabéticos;
  • gestantes ou mulheres que estão amamentando;
  • pacientes em tratamento contra a hipertensão e disfunção erétil;
  • pessoas que estiveram passando por alguma enfermidade, devem consultar seu médico antes de tomar a suplementação de arginina. 

Suplementação de ornitina

Quantidade recomendada e que período tomar

A dose recomendada de ornitina depende de inúmeros fatores, tais como: como idade, saúde, peso, a condição a ser tratada, etc.

Portanto, não existe uma dose recomendada para todos, a quantidade que você deve tomar está diretamente relacionada com o quanto você treina, devendo ser avaliado por um profissional especializado.

Porém, estudos tem mostrado resultados efetivos para a criação de músculo com a ingestão de doses de 100 a 300mg/dia, e para melhores resultados, geralmente é recomendado que a ornitina seja consumida com outros aminoácidos, como por exemplo, a arginina.  

Leia também => L-Arginina: Para que serve, benefícios, como tomar e onde comprar

Porque consumir a ornitina junto com a arginina?

Todas as vezes que a pessoa realiza um treino é liberado em sua corrente sanguínea o GH, produzido pela glândula pituitária. Quanto maior a intensidade do treino, maior a circulação do GH no sangue. A suplementação combinada de arginina com ornitina é capaz de estimular ainda mais a liberação do GH, o que acaba promovendo um resultado muito maior no que se refere aos ganhos de hipertrofia.

As duas primeiras horas após um treino intenso com cargas elevadas são cruciais, pois é quando o GH é produzido em maior quantidade. Portanto, a suplementação com a combinação de arginina e ornitina durante esse período ocasionará um maior aumento da síntese das proteínas, em comparação com o consumo da ornitina consumida isoladamente.

Porém, esses dois aminoácidos não podem ser consumidos por qualquer pessoa e é sempre recomendado o acompanhamento de um profissional nutricionista para que a dosagem e a duração do ciclo da suplementação com a arginina e ornitina não venha a trazer malefícios para sua saúde.

Referências:
Maughan RJ, King DS, Lea T. Dietary supplements. J Sports Sci. 2004;22:95-113.
Carvalho T, editor. Guidelines of the Brazilian Society of Sports Medicine: dietary changes, fluid replacement, food supplements and drugs: demonstration of ergogenic action and potential health risks. Rev Bras Med Esporte. 2003;9:57-68.
Trog, S.D.; Teixeira, E. Uso de suplementação alimentar com proteínas e aminoácidos por praticantes de musculação do município de irati – PR. Cinergis. Vol. 10. Num. 1. 2009. p. 43-53.
Chromiak JA, Antonio J. Use of amino acids as growth hormone-releasing agents by athletes. Nutrition. 2002;18:657-61.
Cruzat VF, Rogero MM, Borges MC, Tirapegui J. Aspectos atuais sobre estresse oxidativo, exercícios físicos e suplementação. Rev Bras Med Esporte. 2007;13:336-42.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Sobre Bruna Bosco

Nutricionista formada em 2011 e pós graduada em Bioquímica, Fisiologia, Treinamento e Nutrição Esportiva pela UNICAMP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GSuplementos

GSuplementos

Curta-nos no Facebook!