Página Inicial » Saúde » Vitamina B1 (tiamina) – Para que serve, benefícios e fontes nos alimentos

Vitamina B1 (tiamina) – Para que serve, benefícios e fontes nos alimentos

Saiba para que serve a Vitamina B1 (tiamina), as melhores fontes em alimentos, doenças causadas pela sua deficiência e quais seus benefícios para saúde.

vitamina b1 para que serve benefícios

A vitamina B1 faz parte do conjunto de vitaminas do complexo B e pode ser encontrada, basicamente, nas mesmas fontes. Também é conhecida pelo nome de tiamina que, há algum tempo era conhecida por vitamina F. Essa vitamina consegue exercer muitas funções importantes no organismo como ajudar no funcionamento do coração, sistema nervoso e músculos. Também é muito importante quando o assunto é metabolismo de carboidratos. Nós, seres humanos, não conseguimos produzir a vitamina B1 em quantidade suficiente e para tanto é preciso adquiri-la pela alimentação balanceada. A carência dessa vitamina pode levar ao beribéri.

Uma das principais funções da vitamina B1 é agir como uma coenzima, chamada de difosfato de tiamina. Quando combinada com o fósforo é formada a tiamina pirofosfato (TPP). Essa substância consegue desencadear reações como a de transformação de glicose em energia. Essa reação consegue liberar outras duas substâncias importantes: a acetil coenzima A e o acetato utilizados durante o ciclo de Krebs. Assim, essa vitamina é necessária no metabolismo das gorduras, carboidratos e proteínas.

Benefícios da Vitamina B1 (tiamina)

Melhora as funções cerebrais
Além de ajuda na produção de energia para o corpo todo, inclusive o cérebro, a vitamina B1 também faz parte da síntese da acetilcolina. Esta, é um neurotransmissor, ou seja, uma substância que está encarregada de passar informações de um ponto a outro através do sistema nervoso. A tiamina também ajuda na produção da bainha de mielina, importantíssima para a transmissão dos impulsos nervosos. Uma hipovitaminose aguda de vitamina B1 pode levar o indivíduo ao coma metabólico. Também ajuda na prevenção de doenças neurológicas combatendo a oxidação.

Excelente para quem pratica exercícios
Uma das formas de melhorar o desempenho nos treinos, seja de musculação, corrida ou qualquer outro, é fazendo com que os nutrientes adquiridos através da alimentação sejam bem aproveitados pelo nosso corpo. A vitamina B1 é um aliado importante neste caso, pois atua diretamente no metabolismo dos principais nutrientes: carboidratos, gorduras e proteínas.

Deficiência de vitamina B1

A hipovitaminose de tiamina pode apresentar 4 patologias: o beribéri seco (polineuropatia periférica, fraqueza muscular e anorexia), beribéri úmido (insuficiência cardíaca de alto débito com sinais congestivos), Shoshin beribéri (beribéri associado com choque) e a encefalopatia de Wernicke. A deficiência em vitamina B1 pode acontecer por vários motivos:

  • falta da vitamina na dieta;
  • deficiência na absorção desse nutriente;
  • algum tipo de patologia que provoque diarreia ou vômitos;
  • hipertireoidismo;
  • gravidez e lactação;
  • febre;

A principal doença causada pela falta de vitamina B1 é o beribéri. Em todos os tipos há uma característica em comum: o metabolismo dos glóbulos vermelhos ficam alterados e as taxas de vitaminas B1, no sangue e na urina, ficam reduzidas.

Beribéri Seco
É possível reconhecer esse tipo de patologia com alguns sinais e sintomas que acometem o indivíduo como sensação de formigamento na ponta dos dedos dos pés e também ardor na região, especialmente durante a noite. Dor e fraqueza muscular nos pés e nas panturrilhas. Um sinal bastante característico é o dedo ou pé pendente. Aqui, os músculos e os nervos já estão atrofiados e tal forma que não consegue erguer essas partes do corpo de maneira normal.

Beribéri Cerebral ou Síndrome Wernicke Korsakoff
Esse tipo da doença acontece quando já há uma deficiência crônica de tiamina e, de maneira repentina, os níveis caem de forma brusca. Muito comum ocorrer depois do consumo excessivo de álcool ou vômito frequente durante a gestação. Existem 3 sinais e sintomas característicos:

  • visão dupla;
  • confusão mental;
  • laringite
  • inventar fatos para suprir lacunas na memória caso a hipovitaminose persista;

Isso se trata de uma emergência médica na qual é preciso passar dias administrando por via endovenosa doses maiores 100 vezes que a normal e também por via oral numa proporção 10 vezes maior que a quantidade ideal até que os sintomas acabem por completo.

Leia também: Vitamina B12 (cobalamina): Para que serve, benefícios e fontes nos alimentos

vitamina b1 tiamina

Beribéri úmido
Aqui temos como característica principal as alterações no sistema cardíaco. O volume de sangue expulso do coração passa a ser maior que o normal. Acrescenta-se a isso a ocorrência de dilatação dos vasos sanguíneos e aumento da frequência cardíaca. Esses sinais e sintomas fazem com que a temperatura da pele se eleve e que ela fique mais úmida, dando assim o nome à patologia. Porém, o coração não consegue manter esse débito cardíaco elevado e pode resultar numa insuficiência cardíaca. Essa situação clínica pode causar dispneia e promover a retenção líquida nos pulmões.

Beribéri infantil
Acomete crianças que ainda estão sendo alimentados exclusivamente pelo leite materno por mães que já possuem a deficiência de vitamina B1. A doença acomete, normalmente, a criança que está entre 2 a 4 meses de vida e os principais sinais e sintomas são afonia, lesões nos nervos periféricos e insuficiência cardíaca. O tratamento com tiamina é suficiente para resolver a situação.

Consumo e fontes da vitamina B1
A quantidade de tiamina recomendada por dia varia de acordo com a idade e com o sexo. Por exemplo, os homens, a partir dos 14 anos, devem ingerir 1,4 mg ao dia de vitamina B1 pelo resto da vida, enquanto que as mulheres entre os 14 e os 18 anos precisam de 1 mg, a partir dos 18 de 1,1 mg e em situações de gestação e lactação, a quantidade ideal é de 4 mg ao dia.

As melhores fontes de vitamina B1 são:
  • legumes secos;
  • carnes magras;
  • leguminosas;
  • nozes;
  • aves;
  • levedo de cerveja;
  • carne de porco (com 100 g é possível suprir 81% das necessidades diárias);

Algumas pessoas em situações mais especiais precisam dos suplementos de vitamina B1. Assim, gestantes, lactantes, idosos, pacientes de hemodiálise ou que sofram de síndrome de má absorção devem sim fazer a suplementação da tiamina sob orientação médica ou por nutricionista. Para uma pessoa normal, uma dieta equilibra já consegue oferecer as quantidades necessárias desse nutriente.

Consumo em excesso

Aqui é onde mora o risco de usar suplementos sem perguntar a um profissional. Não há histórico de contraindicações ou efeito nocivo da vitamina B1 para a saúde quando consumida em excesso. Porém, em casos nos quais é necessária a administração por via endovenosa é possível observar depressão respiratória e choque anafilático.

Referências:
COELHO, Liana S. et al. Deficiência de tiamina como causa de cor pulmonale reversível. Arq. Bras. Cardiol., São Paulo, v. 91, n. 1, p. e7-e9, July. 2008.
BRASIL. Ministério da Saúde. Guia de Consulta para Vigilância Epidemiológica, Assistência e Atenção Nutricional dos casos de Beribéri. Série A. Normas e Manuais Técnicos.

Sobre Calila Galvao

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!