Página Inicial » Saúde » Triptofano: Saiba para que serve, seus benefícios e efeitos colaterais

Triptofano: Saiba para que serve, seus benefícios e efeitos colaterais

Além de melhorar a qualidade do sono o triptofano ajuda a reduzir o estresse e está também presente no tratamento de depressão. Conheça agora todos os seus benefícios.

Triptofano

Nunca se falou tanto em depressão e outras doenças de ordem psiquiátrica como agora. Muitas delas estão relacionadas com a deficiência de certas substâncias no nosso organismo como, por exemplo, o triptofano.

Ela é um tipo de aminoácido essencial, ou seja, só conseguimos obter doses satisfatórias de triptofano através de uma dieta balanceada e saudável. Uma das grandes funções dessa proteína no nosso corpo é que ele faz parte da produção da serotonina junto com a vitamina B3 (niacina) e o magnésio. A serotonina, por sua vez, é um neurotransmissor de extrema importância para o cérebro e o nosso bem-estar em geral. Ela ajuda no controle do sono e também ajuda a liberar substâncias que controlam o nosso humor.

Como ocorre a absorção do triptofano

Quando ingerimos o triptofano através dos alimentos ele pode seguir por duas vias: ser encaminhado diretamente para o sistema nervoso central (SNC), local no qual será usado para sintetizar a serotonina ou ficar circulando na corrente sanguínea, à disposição das funções orgânicas.

Porém, conseguimos absorver pouco triptofano dos alimentos. Já que existem outras proteínas entrando no nosso corpo juntas, ocorre o que podemos chamar de “competição” entre os aminoácidos para ver qual será absorvido. Enquanto que, no cérebro, ele é convertido em serotonina, quando chega ao fígado o triptofano é convertido em vitamina B3.

Benefícios do triptofano

Melhora a qualidade do sono
Como esse aminoácido é um precursor da serotonina, neurotransmissor que atua na regulação do sono, esse não poderia deixar de ser um dos muitos benefícios que o triptofano oferece. Também temos a melatonina, também sintetizada a partir do triptofano. Quem secreta esse hormônio é a glândula pineal, responsável pelo ciclo de sono e vigília, entre outras funções.

O sono é de extrema importância para quem pratica exercícios físicos, especialmente a musculação. É durante o sono que as fibras musculares que foram lesionadas durante o treino, se recuperam. Além disso, já está comprovado que quem não dorme bem costuma consumir alimentos que fazem mal à saúde como os doces. É aquele básico “assalto à geladeira”, que muitos acabam fazendo nas madrugadas.

Reduz o estresse
O triptofano ajuda a controlar a secreção de hormônios que favorecem ao estresse. Por exemplo, a adrenalina é uma substância que acaba provocando mudanças no ritmo cardíaco e acelerando o coração. Isso é extremamente perigoso para quem é cardiopata ou tem hipertensão arterial. O cortisol é outro hormônio que é liberado em momentos de estresse e pode levar à morte os indivíduos cardiopatas.

Previne e auxilia no tratamento da depressão
Muitos exames mostram que níveis baixos de triptofano estão associados a indivíduos depressivos. Várias medicações psiquiátricas para o tratamento dessa doença são fabricadas à base de triptofano. O que elas fazem é inibir os canais de serotonina, ou seja, em vez dela entrar nos neurônios, a substância fica circulando na fenda sináptica, ofertando uma sensação de tranquilidade e melhorando o humor.

Relação do triptofano com os exercícios físicos

Uma pesquisa realizada com ratos tinha como objetivo mostrar os efeitos dos exercícios físicos sobre a produção do triptofano. Foram utilizados 32 ratos machos com, aproximadamente, 30 dias de idade. Os ratos foram divididos em 4 grupos que, entre eles, havia um grupo de sedentários e outro que praticava exercícios regularmente.

O que se conseguiu constatar com esse estudo foi que os ratos que faziam exercícios de forma regular conseguiram aumentar significativamente os níveis de triptofano no cérebro e no plasma em comparação ao grupo sedentário.

Leia também: Melatonina: saiba tudo sobre o hormônio do sono

Como consumir e principais fontes de alimentos do triptofano

Por ser um aminácido essencial é preciso selecionar os alimentos ricos em triptofano para colocá-los na dieta. Entre as melhores fontes de triptofano estão o ovo, os peixes, as nozes, o levedo de cerveja, leguminosas em geral, ervilha, linhaça, aveia, arroz integral, chocolate amargo, tofu e semente de abóbora.

Existe uma quantidade ideal de triptofano que deve ser consumida diariamente. Para quem sofre com a depressão, 1 a 6 gramas por dia é o suficiente para ajudar no tratamento. Para aqueles que perdem noites porque não sentem sono, a quantidade recomendada diária é de 1 a 15 gramas. Para pessoas saudáveis a dose é de 4 mg por quilo de peso. Por exemplo, uma pessoa que pesa 60 kg precisará de 240 mg de triptofano por dia.

Suplemento de triptofano e efeitos colaterais
Para aqueles que sentem a necessidade de tomar o suplemento, 1 comprimido de, no máximo, 500 mg, 30 minutos antes das refeições é o ideal. É muito importante consultar um médico antes de tomar suplementos de triptofano. Para o consumo em excesso, que só ocorre com o uso de suplementos, não há ainda o relato de toxicidade. Porém, que está fazendo uso de inibidores seletivos de serotonina pode vir a desenvolver a Síndrome Serotoninérgica caracterizada por febre, diarreia, espasmos musculares, agitação, tremores, sudorese intensa, alterações mentais, ataxia e hiperreflexia. O que causa tudo isso é o aumento abrupto das taxas de serotonina cirulando nas fendas sinápticas.

Referências:
MAZZOLA, Priscila Nicolao et al . Exercício aeróbico agudo restaura a concentração de triptofano em cérebro de ratos com hiperfenilalaninemia. Rev Bras Med Esporte,  São Paulo ,  v. 18, n. 5, p. 338-340, Oct.  2012 .  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!