Página Inicial » Treinos » Treinar e puxar peso, entenda qual é a diferença

Treinar e puxar peso, entenda qual é a diferença

Não basta você ir para a academia e ficar deslocando pesos aleatórios, pois isto não vai lhe trazer a hipertrofia. O que você precisa é treinar e não simplesmente puxar ferro.

Recentemente um vídeo vem chamando a atenção nas redes sociais. Nele o renomado fisiculturista Kai Greene mostra para um sujeito que está treinando, que ele está fazendo isto errado, pois ele precisa treinar e não apenas puxar peso:

Antes de qualquer coisa, o fisiculturista Kai Greene é um dos maiores expoentes de sua categoria no mundo, sendo amplamente respeitado neste meio, justamente pela qualidade de seu corpo e pelas técnicas de treino eficientes.

Ele aborda o aluno que está fazendo o exercício de rosca direta com halteres sentado e tem uma técnica de execução falha, provavelmente devido ao fato de estar usando muita carga. Repare que no vídeo, Kai fala de alongar e contrais o músculo. Ou seja, ele está falando de usar todo o potencial das contrações concêntricas e excêntricas (A importância da fase excêntrica na musculação). Porém, o que mais me chamou a atenção no vídeo e que eu venho falando em artigos anteriores é que para a hipertrofia o que importa é a intensidade do treino e não necessariamente o volume de carga que você desloca.

Para que seja mais fácil de você entender a diferença entre treinar e puxar peso, vamos inicialmente definir o que é intensidade

Treinar VS puxar peso, a intensidade é o que importa

O conceito de intensidade muitas vezes é mal interpretado. Podemos definir a intensidade aplicada ao treinamento de hipertrofia como sendo o máximo de microlesões e depleção das reservas de glicogênio. Como já explicamoa neste artigo (Você conhece os sistemas energéticos na hipertrofia?) para que ocorram as microlesões, é necessário que se utilize predominantemente o sistema energético glicolítico, pela questão da liberação de lactato e também maior número destas microlesões.

Para que este sistema seja usado, suas séries precisam ter entre 20 e 40 segundos, aproximadamente. Por isso, ao usar muita carga, é possível que você não consiga tanto tempo de execução.

Inúmeros métodos de treino usam a carga bastante reduzida, com o foco na execução. O método das repetições escalonadas, por exemplo, a carga usada não é muito elevada, pois a intensidade da execução é tão elevada que não seria possível alcançar um bom nível de volume com uma carga maior.

Outro ponto a ser destacado no que se refere à diferença entre treinar e puxar peso é a questão do peso a ser movimentado. Muitas pessoas que fazem academia tem verdadeira fixação pelo número que a carga que usam representa. Quem nunca ouviu alguém se gabando por “fazer supino com N quilos” ou “fazer agachamento com X quilos”. Isso seria um fato relevante caso eles fossem levantadores de peso, mas para a hipertrofia não significa muita coisa. Isso porque você usar 120kg no supino não quer dizer que você vai causar microlesões necessárias para a hipertrofia em um grau satisfatório.

Neste artigo (Treine com Inteligência!) já mencionamos o fato de que é possível executar um treino de alta qualidade usando pouco peso, de maneira que você pode evitar lesões e aumentar os resultados de hipertrofia.

Existem maneiras de se intensificar o treino também no que se refere ao descanso e a ordem dos exercícios. Por exemplo, se você usar intervalos mais curtos, que fiquem entre 1 e 2 minutos, entre as séries, terá uma intensidade mais elevada.

É lógico que isso depende de como você está executando seu treinamento. Além disso, alguns exercícios são mais intensos que outros e usar uma ordem correta deles pode fazer com que seu treino seja mais intensificado.

A questão de treinar está implícita em buscar um objetivo, em alinhar as diversas variáveis para tal meta. Por isso, é muito importante que você sempre busque um treino de qualidade, sabendo que a carga é apenas um dos fatores a serem levados em conta para a hipertrofia. Além disso, a questão da concentração e da consciência corporal é muito importante para a execução, já que desta maneira é possível recrutar de maneira mais eficiente as fibras musculares.

Treinar com inteligência é ser mais do que apenas ser um levantador de pesos, é buscar a máxima intensidade para seus músculos, aliando o treinamento com a alimentação e o descanso. Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online.
CREF: 22643-G/SC

8 Comentários

  1. Muito interessante o artigo! Gostei do vídeo também, explica bem a diferença. Parabéns!

  2. muito massa cara!! Esse tipo de vídeo e artigo deveria ser passado nas academias para que os frangos que se vangloriam por levantar “500kg” no supino aprendam o que é treinar. Vlw, ajudou mto.

  3. Excelente!

  4. Excelente, você tem boas explicações.

  5. Gostaria de receber dicas de treino para pessoas 40 anos e querem definir bem e aumentar as coxas e bunda. Queria saber qual suplementos indicados para diabéticos.

  6. Muito bom!

  7. Engracado que ouvi isso esta semana (se eu quiser ganhar musculos tenho que pegar pesado)

  8. Coleman que o diga, para o ganho de massa vc deve sempre se superar e para isso é lógico que se deve pegar pesado, isso ai é marketing pura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *