Página Inicial » Dietas e Nutrição » Serotonina: O que é, sintomas da falta dessa substância e como estimular sua produção

Serotonina: O que é, sintomas da falta dessa substância e como estimular sua produção

Enxaqueca, insônia e até depressão são alguns dos sintomas da falta de serotonina, saiba como estimular sua produção de forma natural através dos alimentos.

Entre as substâncias que mais são necessárias no organismo para desempenharmos as funções do dia a dia a Serotonina praticamente encabeça a lista. Ela faz parte dos neurotransmissores do cérebro, ou seja, ela faz a transmissão de dados entre neurônios. A comunicação entre os neurônios é importantíssima, pois é assim que podemos analisar o meio, além de conseguir dar as respostas imprescindíveis ao ambiente, como atos de sobrevivência, fuga, entre outras coisas.

As funções desse neurotransmissor estão além da comunicação entre os neurônios. Ritmo cardíaco, sono, apetite e regulação de certos hormônios fazem parte das funções dessa substância. Claro, não podemos deixar de falar do humor quando abordamos essa substância, afinal é normal lembrar-se de humor quando abordamos este neurotransmissor. Pois ele é fortemente influenciado pela concentração da mesma em nosso corpo.

Vários problemas são condicionados pela concentração, para mais ou para menos, dessa substância em nosso organismo, assim como cansaço, tristeza, ansiedade, depressão, enxaqueca, e até algumas doenças mentais mais problemáticas, como a esquizofrenia.

Alguns sintomas causados pela falta de Serotonina

A pouca concentração da serotonina causa um dos problemas que mais se tem ouvido falar ultimamente: a depressão. Entre os sintomas que tal doença provoca, enxaqueca e insônia, além de tristeza profunda, podem ser vistos durante os períodos críticos da depressão.

Como dissemos anteriormente, a serotonina está intimamente ligada a alguns hormônios importantes em nosso corpo e um deles é a melatonina. Como já falamos aqui em outro artigo, a melatonina é uma substância que regula o sono. Ela é produzida pelo nosso organismo através da diminuição de claridade, ou seja, a escuridão auxilia no aumento da concentração de melatonina em nosso sangue. Quando temos pouca serotonina fazendo as sinapses de nosso cérebro, consequentemente, a melatonina começa a ser produzida de maneira desregular, dando, assim, insônia ao indivíduo. Esse processo desencadeia uma grande piora na concentração de ambas as substâncias, pois a diminuição de noites bem dormidas diminui a produção de serotonina, enquanto a pouca serotonina diminui a produção de melatonina.

Para os praticantes de musculação, a falta dessa substância pode prejudicar direta ou indiratamente os ganhos de massa muscular, já explicamos em outro artigo a importância do sono no ganho de massa muscular, vale a leitura. 😀

Mas esse quadro, quando não está no ponto de uma depressão profunda, pode ser revertido de forma natural, sem medicamentos ou outros processos. Alguns alimentos e exercícios físicos auxiliam na manutenção da concentração das duas substâncias mencionadas acima. Vamos, então, conhecer alguns itens que melhoram nossa concentração de serotonina no organismo.

Alimentos que estimulam a serotonina

Os alimentos que auxiliam na regulação da serotonina no organismo possuem um aminoácido chamado de triptofano e é essencial para o corpo humano. Ele faz parte do código genético humano, por isso é tão indispensável. Esse aminoácido, juntamente com a vitamina B3, a niacina e o magnésio formam o neurotransmissor serotonina. Porém, consumidos sozinhos, quer dizer, sem outros compostos, não adiantam nada.

O verdadeiro benefício que o triptofano realiza no corpo é através da competição que ele acarreta entre aminoácidos, quando vários são consumidos juntos em um só alimento. Quando o corpo recebe uma descarga de grande quantidade de aminoácidos essenciais, a produção de hormônios e substâncias aumenta ou se regula.

Entre os principais alimentos que auxiliam na melhora da concentração da serotonina no corpo estão:

O chocolate amargo (usado instintivamente pelas mulheres durante o período pré-menstrual – em que há uma diminuição considerável da concentração do neurotransmissor abordado aqui neste artigo);

  • Vinho tinto;
  • Carnes magras (especialmente peixes com ômega 3 em sua composição);
  • Abacaxi (frutas em geral);
  • Leite e derivados;
  • Cereais integrais (alimentos integrais);
  • Leite e derivados.

Além dos alimentos, exercícios físicos auxiliam na regulação de vários hormônios e substâncias, inclusive a melatonina, diminuindo estados de tensão e insônia. O ato de se exercitar, moderadamente e diariamente, faz com que o cérebro libere, na sua corrente sanguínea, substâncias responsáveis pelo prazer, assim como a endorfina. Dentre estas substâncias do prazer está a serotonina é considerada uma substância do prazer.

É possível perceber, logo depois de exercícios físicos (independente de qual for), ondas de bem-estar. Médicos aconselham que pacientes com transtornos de ansiedade e depressão façam caminhadas ou exercícios leves por, pelo menos, 30 minutos diariamente, pois é a partir dos 20 a 25 minutos que substâncias como a endorfina e a serotonina começam a ser estimuladas no organismo.

Antes de iniciar qualquer atividade física consulte seu médico, ele indicará qual o melhor exercício. É importante, também, não deixar de relatar ao médico no caso de você sentir qualquer dos sintomas a seguir: tristeza profunda, insônia, falta de apetite. Eles podem ser o indício de uma doença grave, porém com cura, chamada de depressão. Ela, atualmente, acomete a maioria das pessoas, pelo menos uma vez na vida.  

por Raquel Torres Costa Bressan Redatora formada em Letras pela Universidade Federal de Viçosa.[ratings]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>