Página Inicial » Treinos » Quais os limites do treinamento de força?

Quais os limites do treinamento de força?

Este assunto gera muita polêmica e é o combustível de debates acalorados no mundo acadêmico e fora dele também. Além disso, alguns acontecimentos vez ou outra dão ainda mais combustível para estas discussões. Não pretendo dar uma resposta pronta para você neste artigo, até por que acredito que este tema jamais terá um consenso. O que busco aqui é refletir sobre certos parâmetros e situações que muito se fala no mundo do treinamento de força. Por isso, não busque neste artigo respostas prontas, mas sim um texto reflexivo onde você deve buscar a resposta final.

Scott Mendelson apos lesaoForça extrema no Powerlifting

As discussões acerca dos limites do treinamento de força para o ser humano foram amplamente aumentadas após o incidente envolvendo o fisiculturista e levantador de peso Scott Mendelson. Ele estava tentando quebrar o recorde mundial de levantamento de peso no supino com incríveis 458 Kgs e durante a fase concêntrica do movimento teve um rompimento total do músculo peitoral maior. A questão toda aqui é polêmica, pois o vídeo que mostra o momento em que o músculo se rompe é bastante chocante. Mas vamos analisar com frieza e criticidade tudo isso.

O treinamento de força é uma das modalidades que mais cresce no mundo, com adeptos em praticamente todo o mundo. Desta forma, algumas pesquisas apontam para o fato de cerca de 22% da população mundial executar algum tipo de treinamento de força. Ou seja, é um esporte com grande participação no mundo todo. É lógico que existem situações onde ocorrem lesões, assim como em qualquer prática física.

O que Scoot tentou fazer é algo inimaginável para 99,99% da população mundial, já que o peso era excessivamente alto e toda a equipe sabia que isso poderia acontecer, inclusive o próprio Scott. Afinal quando se busca algo desconhecido, é esse o preço a pagar.

Vídeo durante tentativa de bater o recorde mundial no supino em que Scott Mendelson se lesionou:

Agora, isso também não é justificativa para um monte de pessoas desinformadas falarem barbaridades sobre a musculação, dizendo que ela faz mal para as pessoas e outras barbáries do tipo. Este foi um caso isolado e não reflete a grande maioria dos casos, onde a musculação só traz benefícios as pessoas. O problema é que nem sempre esta prática está pautada na ciência, em conhecimentos práticos e teóricos do treinador/professor e desta forma existem muitos erros crassos no treinamento de força que comprometem a qualidade do mesmo.

Se existe um limite para a força humana, é muito difícil responder, afinal nosso corpo tem uma capacidade adaptativa imensa e o que era inconcebível a anos atrás hoje pode ser realidade. Nosso corpo é uma máquina altamente complexa e que responde das maneiras mais variadas aos estímulos. Se existe um limite para o treinamento de força, creio que dificilmente saberemos. O que posso garantir é que baseado em evidências científicas, pessoas comuns que buscam os benefícios do treinamento de força só tem a ganhar com isso. Lógico que em casos extremos, assim como em qualquer esporte (no futebol ou em qualquer outro esporte também ocorrem lesões graves) quando se busca superar limites desconhecidos, corre-se o risco de lesão.

Porém se você busca apenas melhorar seu corpo, sua condição física e sua autoestima, saiba que o treinamento de força é o mais indicado. Bem orientado e respeitando sua individualidade, este tipo de treino trará inúmeros benefícios a sua vida. Por isso tudo, não se deixe levar por pessoas desinformadas que acusam a musculação e o treino de força em geral de ser uma atividade que faz mal ao corpo.

Desta forma, é muito importante que você tenha um treinamento de força bem instruído, pautado em conceitos científicos e específico para seu biotipo e metabolismo, desta forma pode ter certeza que você só terá benefícios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!