Página Inicial » Dietas e Nutrição » Nova dieta da proteína – Cardápio completo

Nova dieta da proteína – Cardápio completo

Conheça tudo sobre a nova dieta da proteína. Suas fases, cardápio completo, seus benefícios no emagrecimento, vantagens e desvantagens, mais vídeo com mitos e verdades.

Quem não conhece, já ouviu falar e quem nunca ouviu falar, com certeza ainda vai ouvir. A Dieta da Proteína baseada na Dieta de Atkins está virando sensação no mundo e, principalmente, entre as celebridades. Até mesmo a Duquesa de Cambridge, Kate Middleton, caiu nas graças dessa dieta e consegui perder uns quilinhos extras para estar deslumbrante no dia do casamento. Mas, afinal de contas, qual é o segredo de tanto sucesso? O que tem nesse tipo de dieta que não se encontra nas tantas outras que existem e que são consideradas saudáveis e eficientes pelos profissionais?

nova dieta das proteínas

A nova Dieta da Proteína

Nas mãos de um expert em dietas, a antiga Dieta da Proteína, um tipo de Dieta de Atkins (nessa dieta um ou mais grupos alimentares são reduzidos drasticamente ou completamente retirado) ganhou uma nova roupagem. O pesquisador da Universidade de Havard, especializado em obesidade George L. Blackburn, fez uma releitura da antiga dieta e a nova Dieta da Proteína é feita à base de suplementos de proteínas essenciais, ou seja, aquela que o nosso corpo não consegue produzir. Ela é chamada de Dieta das Proteínas de Alto Valor Biológico em diversas clínicas espalhadas pelo país.

Proteínas de alto valor biológico quer dizer que elas são rapidamente absorvidas pelo organismo. Além do mais, as proteínas devem ser magras. Por conta disso é possível ver que por diversas vezes o whey protein, famoso entre os marombeiros, aparecerá no cardápio. Ele tem pouca gordura e pouco carboidrato se comparado com as carnes vermelhas e o frango. O grande problema das carnes vermelhas é a presença de gordura saturada, responsável por problemas como infartos. Esse tipo de gordura não é encontrada no whey protein e esse é mais um motivo pelo qual esse suplemento é tão bem citado na nova dieta da proteína.

Leia também:
+ Whey Protein – O que é, efeitos e como tomar

A diferença entre a original e nova dieta da proteína

Quem conhece a Dieta da Proteína tradicional não deve estar notando uma grande diferença entre a nova e a original. O grande diferencial entre elas é o teor de carboidratos que cada uma oferece ao indivíduo. Na dieta tradicional, eles são praticamente abolidos da dieta. Como os açúcares são o nosso principal combustível para todas as atividades que fazemos, a falta quase que completa deles pode causar tontura, náuseas e para aqueles que fazem atividades físicas não se encaixa nenhum pouco. A nova dieta consegue oferecer um maior teor de carboidratos, o que evita esses efeitos colaterais.

Como funciona o mecanismo de ação

A ideia que a Dieta da Proteína traz com ela, seja qual for, é bem simples. Como foi dito acima, a principal fonte de energia para que o organismo consiga realizar qualquer função, desde a mais básica como respirar até a mais complexa com fazer exercícios físicos, são os carboidratos. Engordamos porque, na maioria das vezes, o ingerimos em excesso e o corpo acaba estocando-os em forma de gordura.

Existem vários mecanismos nesta dieta que faz com que ela seja realmente eficaz. O primeiro deles é que as proteínas oferecem maior sensação de saciedade que se prolonga por muito mais tempo que o normal. É só pensar que você fica com a barriga cheia por muito mais tempo quando vai a uma churrascaria do que quando come um pedaço de lasanha. Outro fato é que o nosso corpo tem muito mais dificuldade de digerir as proteínas do que os carboidratos. As pontes utilizadas para ligar as moléculas e formar as cadeias de aminoácidos são muito fortes, não é por acaso que são utilizadas para construção muscular. Com uma dificuldade 30% maior, o corpo acaba consumindo muita energia estocada em forma de gordura para conseguir realizar o processo.

A Dieta de Atkins

Ela foi proposta pelo Dr. Robert C. Atkins. Ele dizia que a sua dieta seria “A Dieta do Século XX”. Essa dieta tem uma característica bem marcante: ela restringe o consumo de carboidratos de maneira severa e deixa livre a ingestão de gorduras e proteínas como ovos e carnes vermelhas. Como há restrição de carboidratos, as frutas não podem estar no seu cardápio, o que já é por si só um erro gritante, pois elas são fontes de vitaminas e fibras, que também ajudam a emagrecer e no funcionamento normal do organismo como um todo.

Ela é basicamente composta por 3 partes: com excessiva perda de peso, dieta permanente e dieta da manutenção. A característica em comum entre elas é que a quantidade de carboidratos não se altera em momento algum. Apenas é permitida uma taxa de 15 a 20 gramas desse nutriente por dia, o que é muito pouco. Quando a pessoa atinge a perda máxima de peso ele entra em um processo de emagrecimento contínuo e isso lhe dá a liberdade de acrescentar 5 gramas de carboidratos por dia. Então ele entra numa fase de pré-manutenção (considerada na nova dieta de Atkins como uma quarta fase) e, posteriormente, de manutenção, na qual ele poderá estabelecer a quantidade de carboidrato que será consumida por dia.

Quais as vantagens e desvantagens da dieta da proteína?

Segundo o próprio Atkins, em seu livro, ele fala que a sua dieta já conquistou mais de 20 milhões de pessoas e que ela se tornou tão famosa porque é eficiente e cumpre o que promete. A Dieta de Atkins oferece emagrecimento rápido, manutenção do peso e o melhor de tudo, você emagrece sem passar fome.

Um estudo realizado em 2004 por Astrup, Meinert e Harper comparou dois grupos, um que seguia a  Dieta de Atkins e outro que seguiu uma dieta hipocalórica com 25% de gorduras, 15% de proteínas e 60% de carboidratos. Esses pacientes obesos e não-diabéticos foram avaliados por 12 meses e a conclusão a qual os pesquisadores chegaram foi de que a Dieta de Atkins se mostrou mais eficaz. O grupo da dieta hipocalórica perdeu apenas 3% do seu peso enquanto o outro, perdeu 7%. Esse resultado da Dieta de Atkins se deve, segundo os pesquisadores, à redução da resistência à insulina e regulamentação de controladores da fome em pouco tempo.

Entre os pontos negativos, a Dieta de Atkins se mostra muito radical. Ela não pode ser realizada por determinados grupos como os diabéticos e os praticantes de atividades físicas. Outro porém é o consumo de gordura saturada na carne vermelha. Com o passar do tempo, ela se acumulará nas paredes dos vasos podendo provocar problemas como o Infarto do Miocárdio ou um AVC.

Leia também:
+ Os prós e contras da dieta da proteína

Concluindo

A nova Dieta das Proteínas se mostra mais eficaz em diversos aspectos. Nela não há grandes restrições de carboidratos, incluindo as frutas e verduras que são extremamente saudáveis e necessárias para a boa manutenção do organismo. Além do mais, ela restringe o consumo de carne vermelha que pode trazer sérios problemas para o sistema circulatório. Outro ponto positivo é o fato de só utilizar proteínas de alto valor biológico.

Fases da dieta da proteína

Fase 1: Indução
O primeiro objetivo da dieta é que o seu corpo transforme o metabolismo. Ele tem que passar de um organismo que queima carboidratos para um que queima gordura como fonte de energia. O segundo objetivo é impulsionar a perda de peso, dar um pequeno empurrão para que o processo de emagrecimento se inicie. Como dito mais acima, nesta fase a ingestão de carboidratos é de, no máximo 20 gramas por dia. Não se esqueça de que cada um tem o seu próprio metabolismo. Alguns perdem peso rapidamente na primeira fase, porém outras não.

Veja o que deve e o que não deve ser feito nessa fase:

  • não passe mais de 6 horas por dia sem comer nem pule as refeições;
  • coma, ao menos, entre 115 e 175 gramas de proteínas em todas as refeições;
  • os carboidratos devem estar entre 12 a 15 gramas nas refeições, vindos de legumes e frutas;
  • os adoçantes liberados são a sucralose, stevia, sacarina ou xilitol;
  • beba ao menos 240 ml de água todos os dias ou outros líquidos como chá de ervas ou café;
  • não é necessário poupar em gorduras como a pele do frango, apenas acrescente gorduras boas como azeite e oleaginosas nas saladas para aumentar o nível de HDL;

O que se pode comer nessa fase?

Todos os tipos de aves e peixes são permitidos, além é claro de carnes vermelhas. Moluscos também são bem vindos como lula, camarão, lagosta e caranguejo. Tenha cuidado com ostras e mexilhão que possuem quantidades maiores de hidratos de carbono. O bacon e o fiambre estão liberados, mas como são carnes processadas possuem uma taxa a mais de carboidratos e devem ser limitados. Leite, ovos, queijos, manteiga, frutas e legumes estão liberados, mas sempre esteja atento à quantidade de carboidratos que eles têm.

Você só deve passar para a segunda fase se faltam aproximadamente 6,8 kg do seu peso ideal ou se já não aguenta mais os alimentos que anda comendo. Porém, se você ainda tem uma grande quantidade de peso para perder, você deve permanecer firme nessa fase.

Fase 2: perda de peso continuada

A partir deste ponto você já pode acrescentar novos sabores ao seu dia e elaborar novas receitas. Você pode até mesmo ir jantar fora, pois já sabe o que deve ou não comer e já não cai mais nas tentações dos alimentos cheios de carboidratos. Veja o que vem a partir daqui:

  • a quantidade de carboidratos por dia aumentará para 25 gramas;
  • você pode adicionar doces à base de nozes e frutas secas com moderação;
  • as quantidades de gorduras e proteínas não devem ser alteradas;
  • beba 8 copos de água ou outros líquidos, por dia;
  • Quais os alimentos podem ser consumidos?
  • laticínios como requeijão, ricota, nata ou queijo mussarela;
  • nozes e frutos secos;
  • frutas como morangos, framboesas, melão, entre outras;
  • sumos: limão, lima ou tomate;

Se a sua perda de peso deu uma estagnada, então a melhor opção é permanecer na fase em que está. Ao final dessa fase as pessoas já perderam todos os quilos que tinham para perder. Se esse não é o seu caso, continue. Para perder o peso necessário pode ser preciso retirar algum alimento que possui grandes quantidades de hidratos de carbono e pode ser o responsável pelo atraso do seu sucesso. Retire 5 gramas dele nas duas próximas semanas e se possível, mais 5 na semana seguinte. Faça o teste para saber qual alimento deve ficar longe da dieta.

Fase 3: Pré-manutenção

Quando você passar para essa fase, certamente já saberá como controlar a sua fome, comer os alimentos certos e dosar as quantidades de carboidratos que ingere diariamente. Para estar nessa fase é preciso que falte apenas 4,5 kg para chegar a sua meta. Nesta fase você precisa atingir cinco objetivos:

Perder os 4,5 kg lentamente, cerca de 1 kg por semana;

Equilibre a sua dosagem de carboidratos até atingir uma quantidade que seja adaptada a sua nova forma de se alimentar sem que haja ganho de peso e que você continue a perder os quilos ainda desejados de forma gradual;

Vá adicionando à dieta novos alimentos com alto teor de hidratos de carbono de maneira equilibrada. Aqueles alimentos que até agora eram proibidos como certas frutas, legumes e alimentos integrais;

O quarto objetivo é encontrar o equilíbrio. Integrando novos alimentos à dieta, como os outros alimentos ricos em açúcares até chegar em um ponto no qual não haja perda ou ganho de peso;

Esse ponto pode ser o mais difícil: mantenha o seu peso durante um mês. Conseguindo isso, poderá passar a para próxima fase.

O que comer na fase 3:

  • abóbora;
  • cenoura;
  • batata;
  • inhame;
  • grão de bico;
  • feijão preto, manteiga, pinto, lima, branco e vermelho;
  • lentilha;
  • maçã;
  • banana;
  • cereja;
  • goiaba;
  • toranja;
  • manga;
  • pêssego;
  • ameixa;
  • melancia;
  • kiwi;
  • aveia;

Fase 4: Manutenção

Você já passou pelas fases mais difíceis e conseguiu resistir às tentações. Provavelmente, a sua nova alimentação já se tornou um hábito que não há mais dificuldades em segui-la. Tudo o que você precisa fazer nessa quarta fase é transformá-la no seu novo estilo de vida. Aqui será precisa aumentar um pouco a ingestão de gorduras saudáveis presentes no azeite, óleo de coco e oleaginosas, por exemplo. Se a fome pegar, então coma. A intenção dessa dieta não é fazer você passar fome, mas sim comer os alimentos certos que favorecerão a sua perda de peso.

Abaixo o vídeo que fala sobre os mitos e verdades sobre a dieta das proteínas

Os alimentos para se comer nessa fase são os mesmos da fase 3. É uma transição perfeita para que você consiga manter a sua dieta sem muito esforço. Para evitar problemas cardiovasculares por causa da gordura saturada das carnes, você pode optar por fazer 30 minutos de exercícios aeróbicos, ao menos 3 vezes por semana. Esse número já é ótimo para manter a saúde em dias. Você pode procurar sites e outras ferramentas que te ajudem no processo psicológico como fóruns e blogs onde poderá interagir com outras pessoas que estão passando pelo mesmo processo.

Referências
STRINGHINI, Maria Luzia Ferreira, et al. Vantagens e desvantagens da dieta de Atkins no tratamento da obesidade. Salusvita, Bauru, v. 26, n. 2, p. 257-268, 2007.

2 Comentários

  1. Gostaria de saber se é possível fazer musculação com esta dieta normalmente. Grato

  2. Perderei peso na primeira semana de dieta so comendo carne

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Curta-nos no Facebook!