Página Inicial » Saúde » Musculação aplicada ao tratamento e prevenção de doenças

Musculação aplicada ao tratamento e prevenção de doenças

Cada vez mais a musculação vem configurando como uma prática que transcende os conceitos de estética e desempenho físico, sendo cada vez mais utilizada para o controle e tratamento das mais variadas doenças.

Que a prática de exercícios regulares é fundamental para a manutenção da saúde e da qualidade de vida, a ciência já comprovou e todos sabem. Porém, diversos estudos recentes vêm mostrando que não somente como prevenção, mas também como tratamento, a musculação vem sendo muito eficiente em diversas situações. Inicialmente as praticas de exercícios resistidos eram tidas como necessárias apenas para atletas ou pessoas que buscavam um corpo esteticamente mais bonito. Porém, hoje se sabe que a musculação em geral é fundamental para inúmeros casos de doenças que acometem a população mundial.

Inicialmente, usando conceitos muito parecidos com o da musculação, a fisioterapia já usa os exercícios resistidos para a reabilitação de inúmeras patologias, de ordem ortopédica ou neural.

Porém o que vem ganhando muita força e inúmeros casos de sucesso é a musculação tradicional, feita em academias ou clubes, usada para prevenir e tratar doenças em geral, que transcendem os aspectos ortopédicos e neurais, atuando sobre o metabolismo de uma maneira geral.

Musculação como tratamento e prevenção, principais casos

musculação no tratamento de doençasExistem inúmeras patologias que hoje tem na musculação um de seus principais tratamentos. Amplamente estudada pela ciência, as melhoras promovidas pela prática de exercícios resistidos vem a cada dia mais ganhando uma lista mais longa. Para tornar isso mais claro, veja esta lista de algumas doenças que são tratadas e prevenidas com a prática constante de musculação:

1° Diabetes: segundo Santos (2012) “Estudos recentes vem mostrando que as contrações musculares repetidas constantemente, como ocorrem na musculação, estimulam componentes da membrana celular. Este fenômeno faz com que as proteínas presentes nas células transportem mais facilmente a glicose para o meio intracelular”. Além deste efeito, a prática constante de musculação auxilia no controle dos níveis de açúcar (glicose) no sangue, o que faz com que existam casos de pessoas que deixam de ser dependentes de suplementação de insulina com o tempo. Além disso, a musculação é muito eficiente para diabéticos no que se refere ao controle do peso, fator fundamental para a manutenção da saúde e da qualidade de vida.

2° Hipertensão: Durante muito tempo, os hipertensos eram proibidos de praticar qualquer tipo de exercício físico regular, sendo que muitos acreditavam que isto piorava o quadro da doença. Porém inúmeras pesquisas vêm demonstrando que a prática de exercício é fundamental para a melhora da contração e descontração dos vasos sanguíneos. Mais especificamente no caso da musculação, ela apresenta uma melhora considerável no quadro de saúde destas pessoas. Isso por que uma pessoa hipertensa tem os vasos sanguíneos muito mais rígidos e resistentes, o que vai exigir um esforço redobrado do coração para conseguir bombear o sangue para todos os tecidos e órgãos do corpo. O exercício com pesos, desde que feito com cargas leves ou moderadas, leva à formação de novos capilares sanguíneos, principalmente no tecido muscular, o que diminui a resistência periférica dos vasos e consequentemente a sobrecarga sobre o coração. Além disso, a musculação também aumenta a oferta de nutrientes, oxigênio e hormônios para os tecidos do corpo.

3° Osteoporose: esta doença de ordem óssea também apresenta um bom quadro de melhora em praticantes de treinamento resistido. Isso por que a tração que o músculo exerce sobre o sistema ósseo quando são realizados movimentos de musculação, estimula o remodelamento e consequentemente o fortalecimento deste sistema. Ocorre dessa maneira um aumento da produção de células ósseas, além da melhora da fixação de cálcio e também da densidade óssea.

4° Artrite reumatoide: Qualquer indivíduo que apresentar um quadro de artrite reumatoide, precisa de fortalecimento muscular para que ele possa preservar as articulações afetadas. Os principais sintomas e complicações desta doença, como a marcha alterada, podem ser melhoradas e prevenidas com o treinamento de força. Porém o exercício deve ser feito com cargas leves ou moderadas, já que exercício muito intensos podem causar um aumento da atividade inflamatória articular. Por isso é fundamental neste caso, a consulta ao médico reumatologista e o acompanhamento de um profissional de educação física.

5° Doença pulmonar obstrutiva crônica: Segundo Larrentis (2010) “As pessoas que tem DPOC, tem um enfraquecimento da musculatura, fato este considerado normal, pela atividade pulmonar prejudicada, já que a oferta de oxigênio a musculatura é limitada, proveniente de uma respiração dificultada. Desta maneira musculação irá ajudar a reverter esta perda de massa muscular e ainda melhora a restrição pulmonar, já que o músculo quando treinado periodicamente, capta o oxigênio com muito mais facilidade.

6° Mal de Parkinson: As doenças de ordem neural também tem seu tratamento potencializado e prevenido com a prática de exercícios com pesos. O mal de Parkinson mais especificamente, que se caracteriza por tremores, falta de equilíbrio e rigidez muscular, além dos sintomas comportamentais, como perda gradual de memória e consciência, pode ser amenizada e prevenida com a prática de musculação. Neste sentido, o neurocientista americano Daniel Corcos, realizou um estudo de larga escala, com 48 pacientes diagnosticados com Parkinson que foram submetidos a treinamento resistido duas vezes por semana. O que foi verificado após o período de seis meses de pesquisa foi uma melhora considerável na flexibilidade, tonicidade e equilíbrio dos pacientes. Além disso, uma estabilização dos sintomas degenerativos também foi encontrada em cerca de 80% dos casos estudados.

Estas são algumas das doenças que são tratadas e prevenidas com a prática de musculação. Se formos levar em conta as doenças que são provenientes da obesidade, teremos uma lista ainda mais extensa.

Leia também:

Para ilustrar um pouco mais esta questão, recentemente uma reportagem sobre este assunto ganhou bastante repercussão na mídia. A americana Lisa Bradley, portadora de uma rara doença, que aumentava em muito a rigidez muscular, o que lhe causava muitas dores por todo o corpo e já estava em um grau avançado, deixando Lisa de cama. Com a prática de musculação seis vezes por semana e uma alimentação equilibrada, hoje Lisa, que ia para os treinos de cadeira de roda, consegue andar e se movimentar sem dores. Lisa se apaixonou tanto pela musculação que pensa até em se inscrever em um concurso de fisiculturismo amador.

Estes são apenas alguns dos casos de doenças que podem ser prevenidas e tratadas com a prática da musculação. A cada dia a ciência vem descobrindo mais e mais vantagens do treinamento resistido, sejam para a saúde, sejam para a qualidade de vida. Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!