Página Inicial » fisiculturistas » Mendigo fisiculturista, veja a história e o que ela pode nos ensinar!

Mendigo fisiculturista, veja a história e o que ela pode nos ensinar!

A notícia do mendigo francês que treina e se alimenta como um verdadeiro fisiculturista teve grande repercussão nesta semana. Veja mais sobre esta história e o que podemos aprender com ela!

Vez ou outra, os noticiários nos trazem acontecimentos e situações no mínimo estranhas. Nesta semana, praticamente todos os grandes tabloides de notícias mostraram a história e a vida de um mendigo francês, que treina diariamente e mantém uma dieta focada no ganho de massa muscular.

O nome deste mendigo é Jaques Sayagh, ele tem 50 anos e conta no documentário “Street Fight”, de Julien Goudichaud, que mora na rua por opção, por não se adaptar com lugares pequenos, como alguns apartamentos. Ele dorme na rua, se cobre com pedaços de papelão e vive com seus dois cachorros. Jaques tem poucos pertences, mas é possível verificar no documentário, a presença de alguns suplementos.

conheça a história do mendigo fisiculturista
Créditos Foto: Reprodução/YouTube (Lab Anass)

Jaques conta no documentário que tem dois irmãos e que desde criança, já praticava exercícios físicos regularmente. Ele conta que corria, fazia judô e natação e que esta rotina é muito importante para manter sua qualidade de vida. Além disso, em um ambiente tão inóspito como as ruas, ter um corpo com músculos fortes e salientes chega a ser uma maneira de estar mais seguro.

Treino e dieta do “mendigo fisiculturista”

Jacques mantém diariamente seus exercícios, sendo que o documentário mostra que grande parte destes exercícios são feitos de maneira improvisada ou mesmo com o peso do corpo. Ele comenta que sua dieta já foi bastante restritiva, mas que com isso desenvolveu patologias hepáticas. Hoje, com uma alimentação mais equilibrada e com a devida suplementação, ele se prepara para um campeonato de fisiculturismo, fazendo seis refeições ao dia, sendo que todas elas contêm além de carboidratos e proteínas,vegetais em geral. A competição que Jaques irá participar é no mês de maio do próximo ano e ele comenta que na fase final de sua preparação, precisará reduzir sua retenção líquida, para conseguir uma melhor definição.

Abaixo algumas fotos da rotina do fisiculturista morador de rua. (Clique na foto para ampliar)

É realmente uma história ao mesmo tempo curiosa e motivadora, pois com uma vida confortável e convencional, já é difícil encarar uma preparação para um campeonato de fisiculturismo, imagine nas condições de Jaques. Esta história com toda a certeza pode nos ensinar muita coisa sobre o treinamento resistido e a maneira como o encaramos!

O que podemos aprender com a história do mendigo fisiculturista?

Creio que esta seja uma daquelas histórias que motivam e inspiram as pessoas durante muito tempo. Mas muito mais do que isso, ela trata da essência do fisiculturismo, da busca pela melhor forma, do melhor corpo. É uma batalha muito mais contra si mesmo do que contra adversários. Infelizmente, podemos ver que ser fisiculturista, ser um atleta, está se tornando “modinha”. Muita gente que se diz “fisiculturista” está mais preocupado com as suas fotos nas redes sociais do que com o esporte e a sua propagação saudável.
As pessoas que seguem a essência do fisiculturismo, aquelas que não se preocupa com as fotos no espelho da academia, que não se importa em postar fotos de suas refeições nas redes sociais e que não tem a prepotência de serem chamadas de “mitos”, sabem que este mendigo, na sua simplicidade, pode representar muito mais do que parece.

Veja o vídeo que conta um pouco da história de Jaques Sayagh

https://www.youtube.com/watch?v=o6Mq-3_AMMI

Se você leu esta história e sentiu-se consternado com tamanho amor pelo esporte, você com certeza entende o que é o fisiculturismo de verdade! Diria que provavelmente ele seja um dos maiores exemplos do fisiculturismo old School que apareceu na mídia nos últimos tempos. Bem melhor do que aqueles caras que ficam no espelho tirando foto com suas garrafinhas de água, não é? Além disso, se ele, morando nas ruas consegue, imagine você que tem todas as condições! Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online.

4 Comentários

  1. Qual será o custo dessa alimentação e suplementação? Pois sabemos que isso não sai nada barato!
    E ele banca tudo isso com as “esmolas” dadas pela admiração que os pedestres tem pelo seu trabalho e esforço? Pois em certos lugares um mendigo não culturista não passaria tão bem.
    Mas é de fato incrível como o foco no treinamento supera qualquer academia de luxo cheia usuários de redes sociais! rsrsrs
    Parabéns ao Jaques!!

    • Ele deve ser patrocinado…

    • para ele se manter na rua nao tem gasto comluz , internet ou água, em paises de primeiro mundo o trabalho manual e muito bem valorizado se ele pegar pra capinar um quintal, cortar uma arvore limpar uma casa o minimo que ele ganha seria 20 euros ou ate mais dependendo do tempo que leve para realizar o serviço , sendo assim para ele nao seria tao car manter uma dieta e suplementos que nestes paises chegam a ser 80% mais barato devido impostos e taxa de importação.com um dia de trabalho de qualquer coisa manual nos eua voce consegue compra um pote de whey protein da opti grande + um mutivitaminico de 150 capsulas e uma creatina.enquanto aki no brasil se vc for servente de pedreiro isso representaria uns 15 dias de trabalho 600 reias em media.

  2. GABRIEL MEZIAT PINA

    Não vou entrar no mérito da questão de treino, alimentação e repouso que essa pessoa faz. Mas vamos sinceros. Usuário de drogas. Ponto. Não dá pra atingir esse IMC sem utilizar esse artifício. Isso para ser brando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!