Página Inicial » Descontos e Promoções » Maltodextrina ou Dextrose? Nutricionista da Growth Supplements explica como utilizar cada suplemento

Maltodextrina ou Dextrose? Nutricionista da Growth Supplements explica como utilizar cada suplemento

Maltodextrina ou dextrose?

Os carboidratos desempenham papel fundamental na geração de energia. São o nutriente mais importante na alimentação de quem pratica exercícios. A oferta de carboidratos adequada otimiza o desempenho físico ao passo que a oferta irregular pode ocasionar cansaço e fadiga. Por este motivo, a suplementação com carboidratos é considerada um recurso nutricional ergogênico.

Alimentos como arroz, batatas, mandioca, vegetais em geral são excelentes fontes de carboidratos. Nos alimentos encontramos muitas formas diferentes deste mesmo nutriente, cada uma delas é classificada de acordo com suas estruturas.

Porém, em alguns casos a rotina do dia a dia nos impede de consumir refeições da forma adequada. Esta situação é uma boa justificativa para utilizarmos suplementos alimentares, cápsulas e pós, que são uma excelente estratégia para garantir consumo alimentar adequado quando não podemos utilizar alimentos sólidos ou quando um suporte nutricional especifico é necessário.

Os suplementos de carboidratos mais utilizados são Maltodextrina e Dextrose, ambos fornecedores de carboidratos.

Mas e aí, qual escolher?

Para optar pelo produto adequado devemos analisar a situação. Os aspectos relacionados à demanda nutricional (treino, rotina de vida..) e aspectos relacionados à oferta de nutrientes (dieta praticada) do indivíduo.

A Dextrose, também conhecida como glicose, faz parte da família dos monossacarídeos, obtida com hidrólise completa do amido. Possui alto índice glicêmico (96), sendo absorvida no intestino onde é disponibilizada à circulação e dali serve como substrato energético imediato. A melhor indicação uso da Dextrose é para refeições intra e pós-treino.

Já a Maltodextrina é um carboidrato complexo pertencente à classe dos polissacarídeos. Trata-se de um produto intermediário entre amido e glicose (dextrose). Pode ser produzida por hidrólise enzimática, ácida ou uma combinação dos dois métodos. Apresenta-se na forma de pó, totalmente solúvel em água. Possui índice glicêmico maior que a dextrose (100). A melhor indicação é para refeições pré e intra-treino.

Ambos os suplementos podem ser combinados, a programação de cada um deles depende da necessidade do individuo. Quando se necessita de energia rapidamente utiliza-se Dextrose, em uma concentração de 6% a 8%, essa estratégia pode ser usada durante e também após o treino, basta que a intenção seja rápido fornecimento de glicose.  

Nos casos onde houver necessidade de liberação de glicose gradual pensando na manutenção de níveis de glicemia elevados, a melhor indicação é Maltodextrina.

Diferenças

Maltodextrina e Dextrose podem ser diferenciadas pelas suas estruturas. Dextrose é a forma de carboidrato mais simples que há, trata-se de uma molécula de glicose simples, já a Maltodextrina é composta por polímeros de glicose, moléculas simples ligadas entre si formando uma estrutura maior e mais complexa.

Com isso a Dextrose é disponibilizada imediatamente na circulação enquanto a Maltodextrina precisa passar pelo fígado, sofrer hidrólise e ser transformada em glicose. Na prática, podemos direcionar Maltodextrina para a refeição pré-treino e a Dextrose para a refeição pós. Isto porque a velocidade com que a Dextrose aumenta a glicemia sanguínea é maior do que aquela observada para Maltodextrina.

Uso da Dextrose requer cuidados

Em alguns casos consumir Dextrose na refeição pré-treino pode não ser uma boa ideia, isto porque ao elevar a glicemia tão rapidamente observamos a produção de insulina em grande quantidade, a insulina pode agir retirando glicose da circulação desencadeando sintomas de hipoglicemia, este efeito é chamado de hipoglicemia de rebote e pode acabar com seu plano de exercitar-se.

A frequência cardíaca também sofre influência em decorrência da escolha do carboidrato. O aumento da concentração plasmática de insulina gera um efeito adrenérgico que, por sua vez, induz um efeito cronotrópico positivo sobre o coração. A Dextrose pode induzir ao aumento da frequência cardíaca ao passo que a Maltodextina não possui esta capacidade. Este efeito não é bem vindo durante o exercício, pois pode antecipar o aparecimento de fadiga.

Elaborado por Diogo Círico, nutricionista R.T. Growth Supplements

Sobre Diogo Cirico

Graduado em Nutrição, pós-graduação em Nutrição Esportiva R.T GrowthSupplements. CRN 10 - 2067

Um comentário

  1. Tu é fera, parça!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!