Página Inicial » Corridas » Lesões no pé – conheça mais sobre a fascite plantar

Lesões no pé – conheça mais sobre a fascite plantar

Todas as informações sobre a fascite plantar: as causas, sintomas, prevenção e como tratar.

Por estarmos sempre os utilizando excessivamente, pela carga que eles recebem a todo o momento, por todos os movimentos que fazem intermitentemente, e muitas vezes, por não termos os devidos cuidados com eles, os pés são muito suscetíveis à lesões. Geralmente, é a última parte do nosso corpo que pensamos em hidratar, cuidar, manter bonito e saudável, no entanto, são eles que nos levam para onde queremos ir, suportam todo o nosso peso, estão se movimentando na maioria do tempo, tem de fazer o movimento correto para que possamos nos locomover, e permite toda a nossa movimentação e sustentação quando se trata da posição de pé. Nas mulheres, é submetido ao desconforto do salto, e nos homens, ao ambiente quente e úmido do tênis. É, nossos pés são mesmo muito resistentes, mas essa resistência tem limite, e eles podem iniciar um processo de lesão. Hoje vamos conhecer a fascite plantar.

fascite plantar lesoes do peO que é a fascite plantar?

É a inflamação da fáscia plantar, que é uma camada fibrosa que recobre a musculatura da planta (que é a parte de baixo) do pé e se estende desde o calcâneo até os dedos, ela dá suporte, proteção, absorve impactos e dá forma ao arco do pé. Seu ponto de dor é na região do calcâneo (osso do calcanhar), o que traz muito desconforto, dificuldade para caminhar dor ao encostar o calcanhar no chão.

Causas

Normalmente a fascite plantar ocorre por uma tensão/ estresse em excesso, recrutamento excessivo da musculatura, ou qualquer carga ou utilização que seja além do que o corpo suporta. Estes que levam a microtraumas e inflamação. Outros fatores podem estar relacionados:

– Alterações no arco do pé (pé plano é muito mais vulnerável à lesão)

– Tipo de pisada;

– encurtamento do tendão de Aquiles e músculos posteriores da perna;

– Excesso de peso;

– Calçados inadequados e desconfortáveis; (aqui entra o excesso do uso de salto alto para as mulheres, onde além de ser possível causar um encurtamento grave na panturrilha, ainda podem desenvolver esta e outras lesões no pé.)

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

– Ausência de calçados em exercícios, caminhadas ou atividades físicas;

– Corridas de longa distância;

– Excesso de treino para corridas e esportes, por exemplo;

– Longas caminhadas sem preparação;

– Trabalhar muito período de tempo em pé.

Sintomas

Os sintomas da fascite plantar acontecem de forma lenta e graduada, e não tem qualquer outra causa como queda ou pisada forte em algum objeto. Seu principal sintoma é a dor, geralmente do tipo pontada ou queimação, no calcanhar que é pior logo de manhã, ao sair da cama, ao andar, ficar de pé, ou subir escadas, por exigir uma tensão que a fáscia não tem quando está em repouso. Ocorre também em conjunto com a dor, a rigidez e o edema (inchaço) na planta do pé, tornando sua movimentação diminuída.

Como tratar a fascite plantar?

O tratamento inicial da fascite plantar tem como objetivo diminuir a inflamação local melhorando o aporte de oxigênio e a reparação das microrupturas, diminuindo o edema e a rigidez, possibilitando melhor movimentação do pé. No todo, o tratamento é um misto de medicamentos, repouso, gelo e fisioterapia, que irá atuar também na analgesia local, além de exercícios de alongamento e fortalecimento da fáscia e musculatura plantar e da panturrilha. Muitas vezes podemos contar com o auxílio de dispositivos como uso de tala noturna para manter a fáscia alongada e diminuir o tempo de recuperação e palmilha ortopédica sob medida, feita também por fisioterapeutas.

Os resultados são mais demorados por ser uma parte do nosso corpo que utilizados frequentemente, no entanto, é bastante eficaz. Caso não resolver nenhum desses tratamentos em torno de 12 meses e a dor intensa persistir, o ideal é procurar novamente um médico e verificar a hipótese de uma cirurgia.

O retorno às atividades, esportes ou corrida, varia de acordo com o paciente. No entanto, ao cessar a dor inteiramente, total retorno da mobilidade, sentir segurança ao caminhar, e estiver com a musculatura fortalecida para que não haja recorrência, gradativamente e aos poucos é possível reiniciar as atividades.

Prevenção da fascite plantar

A prevenção dessa lesão é bem simples, e nos baseando nas causas, é fácil observar o que podemos fazer para prevenir. Utilizar calçados adequados, manter boa flexibilidade e força na musculatura da perna e pés, manter o peso ideal, treinar e praticar apenas o que o corpo pode suportar (não ir além dos seus limites), diminuir impactos e choques excessivos no calcanhar, e manter a pisada correta.

O mais importante: prevenção ainda é o melhor remédio. Tenha consciência de seus limites e que se a sua integridade física falhar, você terá que interromper suas atividades. Tenha cuidado e esteja atento aos sinais que o seu corpo dá.

Sobre Jeniffer Manfrini

Fisioterapeuta formada pela Uniasselvi Fameblu, apaixonada pela incrível máquina que é o nosso corpo humano, sempre em busca de novos conhecimentos e experiências. Atua como estagiária pela faculdade e é uma futura pós-graduanda em dermato-funcional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *