Página Inicial » Emagrecimento » Irisina – O hormônio que ajuda emagrecer

Irisina – O hormônio que ajuda emagrecer

Um hormônio produzido nos músculos e agindo nas células de gordura provocando sua queima e o aumento do metabolismo celular, conheça mais sobre a irisina.

A busca pelo emagrecimento é um dos principais problemas vistos no mundo do fitness, principalmente pelas mulheres. A má alimentação associada ao sedentarismo é um dos agravantes, os quais atrapalham o andamento correto do metabolismo do organismo.

O metabolismo é a maneira que o corpo utiliza os nutrientes para desempenhar suas funções principais. Ele utiliza as calorias existentes nos alimentos para realizar todos os tipos de atividades essenciais, desde a respiração, os batimentos cardíacos, até o caminhar e exercer atividades normais do dia a dia, como lavar roupa ou estudar.

Quando o metabolismo desacelera, o corpo tende a manter essas calorias, retendo em locais, os quais são chamados de reserva corporal. Os principais locais que mantém as reservas corporais são o abdômen, o pescoço, o quadril etc. O metabolismo normal queima calorias, as quais foram consumidas somente para o desempenho normal do corpo. Quando consumimos mais calorias do que são necessárias, principalmente quando não queimamos através de atividades físicas, o metabolismo se corrompe, desacelerando e, consequentemente, dando mais reserva no corpo. Tais reservas viram tecido adiposo branco.

O corpo realiza vários procedimentos para manter o organismo em pleno funcionamento. Para realizar a quebra dos nutrientes, convertendo-os em energia, o organismo fabrica substâncias necessárias para tal atividade. Entre eles, vários tipos de hormônios são fabricados para fazer o crescimento muscular, converter glicose em energia, entre outras coisas. Um desses hormônios, conhecido como Irisina, faz parte das funções do organismo para o bom funcionamento do mesmo.

O que é Irisina e como funciona no emagrecimento

A irisina é fabricada pelo corpo. Claro, em quantidades normais para a perda de peso de forma regular. Porém, ela só é fabricada pelo corpo através de exercícios físicos regulares. Em estudos com camundongos, foi visto que a irisina somente começa a ser fabricada após 21 dias de atividades físicas regulares. Então, somente após o corpo se acostumar com uma rotina de exercícios que ele começará a produzir o hormônio tão benéfico para a perda de gordura.

A irisina auxilia na perda de peso aumentando a capacidade dos músculos de receber a glicose, para serem queimadas durante exercícios físicos. Ou seja, a glicose advinda dos alimentos não fica estocada, indo diretamente para os músculos, os quais auxiliam na queima das gorduras já estocadas.

Além disso, esse hormônio ajuda na proteção cardiovascular, principalmente por diminuir a presença de gordura, que é tão maléfica ao coração. As substâncias produzidas a partir do tecido adiposo branco aumentam a produção de placas de ateroma, que são formadas por lipídios e tecidos fibrosos, ficando retidas nos vasos sanguíneos. Quando em muita quantidade, o ateroma pode obstruir passagens de sangue e causar isquemias teciduais.

A Irisina auxilia, também, na formação de tecido adiposo marrom que, diferentemente do tecido adiposo branco, não ocasiona problemas como o citado anteriormente. Em crianças, o tecido adiposo marrom é o mais predominante. Sua principal função é manter o calor corporal. Nas células do tecido adiposo marrom existem uma grande quantidade de mitocôndrias, além de ferro, o que dá a coloração marrom, tão característica. As mitocôndrias são responsáveis pela respiração celular e utilizam a glicose para tal feito. As mitocôndrias, quando realizam a respiração celular, convertem a glicose em energia, gastando mais calorias consumidas.

Ainda não é possível comprar a Irisina em sua forma sintética

Cientistas de Harvard já estão estudando a possibilidade de comercializar o hormônio em sua forma sintético, porém ainda está em fase de análise e testes. Esperar para usar o hormônio somente em sua versão sintética poderá demorar muito. Como nosso corpo também proporciona doses excelentes para a manutenção e perda de peso, é importante que se realize os procedimentos básicos para que ele comece a ser produzido de maneira normal, ou seja, atividades físicas é o primeiro passo para perder peso.

Além de exercícios regulares, a alimentação balanceada e o consumo de muito liquido também auxiliam na perda ou manutenção de peso. Consulte seu médico e um nutricionista para que ambos o auxiliem para conseguir o corpo desejado.

por Raquel Torres Costa Bressan Redatora formada em Letras pela Universidade Federal de Viçosa.

Sobre Raquel Torres Costa Bressan

3 Comentários

  1. MARIA GENI T. DAMBROSKI

    Irisina o hormÔnio gostei da reportagem ,,como adquirir? obrigada pela atenção

  2. Poucos falam sobre o browning, perfeito ! Adorei

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!