Página Inicial » Dietas e Nutrição » Glicina, saiba para que serve esse aminoácido, funções e fontes nos alimentos

Glicina, saiba para que serve esse aminoácido, funções e fontes nos alimentos

O aminoácido glicina tem papel fundamental em nosso sistema digestivo e nervoso, além de ser antioxidante e ainda ajudar a fornecer energia para os músculos.

Glicina fontes nos alimentos

Os aminoácidos são componentes muito importantes para a formação do nosso corpo. Eles se dividem em não essenciais e essenciais. A glicina é um aminoácido não essencial, ou seja, o nosso código genético tem a informação necessária para fabricá-la. Ela atua na composição das proteínas e possui um sabor adocicado.

Para que serve a glicina

A glicina possui várias funções no nosso organismo. Dentre elas, temos a função de intermediário biossintético. Isso significa que o nosso corpoprecisa da glicina para fabricar outras substâncias úteis como as porfirinas (forma o grupo heme das hemoglobinas), purinas (base nitrogenada utilizada na formação da cadeia de DNA) e também as fosfocreatinas.

A glicina também atua como um neurotransmissor de função inibitória, principalmente na retina, medula espinhal e tronco cerebral. Ela é muito importante para que ocorra a diferença de potencial na célula e, desta forma, o impulso nervoso possa acontecer para levar as informações necessárias a diversas partes do corpo.

Além dessas funções, a glicina também atua como elemento estrutural de várias substâncias, principalmente do colágeno. A glutationa, um antioxidante, essencial para o equilíbrio da oxidação celular causado, principalmente, pela ação dos radicais livres.

Leia também: Glutamina – O que é, efeitos e como tomar

Os benefícios da glicina

No sistema digestivo
O nosso fígado é o órgão principal quando o assunto é a metabolização das gorduras. Ele produz um líquido chamado bile que fica armazenado na vesícula biliar e que é secretado quando consumimos algum alimento. A glicina atua na produção desse líquido que ajuda a degradar a gordura.

No sistema nervoso
Os neurotransmissores são de extrema importância para a nossa saúde. São eles que nos conferem a sensação de prazer e bem-estar, mas também sensações ruins como a tristeza, o estresse, a falta de atenção que a falta de algum neurotransmissor acarreta.

Alguns transtornos causados pela mente como a depressão, ansiedade, desatenção, hiperatividade conseguem se manter relativamente estáveis com o consumo de suplementos de glicina, mas é claro que isso vai depender do grau da patologia. Ou seja, a ingestão de glicina pode auxiliar nas alterações do humor.

Propriedade antioxidante
A glicina é um componente essencial na formação da glutationa, que é um agente antioxidante. Desta forma, podemos dizer que a glicina também ajuda a reduzir a incidência de doenças crônicas como a hipertensão arterial e também de algumas das mais graves como o câncer por retardar o envelhecimento celular e reduzir a alteração na estrutura do DNA.

Para quem sofre de insônia
Quem treina com conhecimento de causa sabe bem que, para ter um bom crescimento muscular é preciso dar um descanso de qualidade ao corpo. Afinal de contas, é durante o sono que as fibras que foram lesionadas durante o treino são reparadas, gerando a hipertrofia muscular.

Ainda não se sabe exatamente por qual mecanismo a glicina ajuda na melhora da qualidade e no aumento da duração do sono. Porém, algumas pesquisas realizadas puderam verificar que os indivíduos que ingeriram suplementos de glicina conseguiram dormir mais e melhor.

No sistema muscular
Para quem pratica exercícios físicos como a musculação, a glicina é um aminoácido muito importante. Por exemplo, a glicina consegue colocar uma quantidade maior de glicose dentro das células repondo o estoque de glicogênio, principal fonte de energia muscular.

Outro ponto importante a ser considerado é quanto ao aumento da síntese do hormônio do crescimento (GH), utilizado pelo nosso corpo para o reparo das fibras musculares após o treino, dentre outras funções. Como é um hormônio anabólico, é essencial para a hipertrofia muscular.

Leia também: GH, hormônio fundamental para a hipertrofia e definição

Por fazer parte da formação do grupo heme, principal componente da hemácia, a glicina também melhora a oxigenação dos tecidos já que a hemoglobina é a célula que carreia oxigênio para o corpo. Com mais oxigênio, o tecido muscular consegue gerar uma melhor hipertrofia.

Quem quer aumentar a força muscular, uma boa opção é ingerir suplemento de glicina já que esse aminoácido faz parte da composição da creatina. Isso pode garantir uma redução no tempo de academia e também acelerar o ganho de massa muscular.

Alimentos ricos em glicina

Você deve estar se perguntando: já que o nosso corpo consegue produzir a glicina, porque é necessário consumir alimentos que contenham esse aminoácido? Enquanto a nossa saúde está boa, o organismo consegue produzir a quantidade necessária desse nutriente, porém, em momentos de doença, estresse ou cansaço, isso já não consegue ser feito com tanta eficácia.

Portanto, é bastante necessário a ingestão de alimentos ricos em glicina como alimentos de origem animal (carnes, ovos, leite e derivados) como também os de origem vegetal (algas marinhas, gelatina sem sabor, proteína isolada da soja, semente de abóbora, feijão, broto de feijão, lentilha, trigo, aveia, arroz integral, milho, amaranto, quinoa, brócolis, abóbora, espinafre e outros).

Suplementação de glicina

A suplementação com glicina não se faz muito necessária já que somos capazes de produzi-la e ainda temos vários alimentos que são ricos nesse aminoácido. Porém, se você está em busca de hipertrofia muscular, ganhar força durante os treinos ou dormir melhor, fazer uso do suplemento pode ser sim uma boa opção.

A quantidade máxima de glicina por dia que pode ser ingerida sem trazer reações adversas é de até 3.000 mg. Uma boa escolha também pode ser a de combinar a glicina com outras substâncias como a glicose, a creatina e a L-arginina. Essas combinações costumam gerar mais força durante os treinos e aumentar as fontes de energia.

Sobre Calila Galvao

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!