Página Inicial » Dietas e Nutrição » Dieta cetogênica – O que é, como funciona, benefícios e cardápio

Dieta cetogênica – O que é, como funciona, benefícios e cardápio

Inicialmente a dieta cetogênica foi criada com intuito de auxiliar no tratamento de crianças com epilepsia. Alguns anos mais tarde, estudos concluíram que essa dieta poderia
ser eficaz também no tratamento de outras doenças como diabetes, além de auxiliar no emagrecimento.

Dieta cetogênica

O que é

A dieta cetogênica é um tipo de dieta rica em lipídios, com baixo teor de carboidratos e quantidades moderadas de proteínas. Nessa dieta, 80% da energia que o organismo obtém provém dos lipídios.

A partir dessa dieta, a gordura da alimentação e das reservas corporais (tecido adiposo) são quebradas no fígado produzindo ácidos graxos e corpos cetônicos para serem utilizados como fonte de energia, processo conhecido como cetose.  

O processo de cetose ocorre quando não há mais reservas de glicogênio hepático e muscular para gerar energia para o corpo justamente pela baixa quantidade de carboidratos na dieta e em situações de jejum prolongado.

A dieta cetogênica foi criada pelo Dr. Wilder em 1921 na Mayo Clinic, nos Estados Unidos, para tratar crianças que sofriam de epilepsia. Ela caracteriza-se por possuir:

  • 55 a 65% de gordura
  • menos de 20% de carboidratos ou 100g por dia
  • 25 a 35% de proteínas

Para que serve

A dieta cetogênica tem sido utilizada para promover o emagrecimento (perda de peso total e gordura corporal) devido à baixa ingestão de carboidratos, já que estes são os nutrientes que favorecem o ganho de peso, pois, quando em excesso no organismo, são transformados em reserva de gordura (tecido adiposo).

Outra forte utilização comprovada da dieta cetogênica através de estudos é o seu uso para o tratamento de doenças, entre elas a epilepsia, diabetes, obesidade e outras.

Leia também => Dieta Dukan – Como fazer passo a passo cada uma das fases e o antes e depois

Benefícios

1. Redução de peso e gordura corporal

Como já vimos, um dos grandes benefícios da dieta cetogênica é a possibilidade de perda de peso, em especial a massa gorda. Isso ocorre justamente por conta da utilização dos lipídios da dieta e do tecido adiposo como fonte de gordura devido á baixa ingestão de carboidratos que acabam por não estarem em quantidades mínimas no organismo e, assim, não são capazes de fornecer energia para o corpo através da clássica via do ATP, molécula que armazena energia produzida.

O organismo, então, se prepara para entrar em estado de cetose com a produção dos ácidos graxos e corpos cetônicos para gerarem energia para que o corpo possa utilizar essa energia e continuar em funcionamento normal. Assim, é possível haver a perda de peso, especialmente de gordura, com preservação da massa muscular.

Mesmo com a baixa ingestão de carboidratos, é possível evitar o que se chama de hipoglicemia, uma condição provocada pela falta de glicose no sangue que pode causar tonturas e desmaios e, em casos graves, até coma. A glicose sanguínea é mantida com a pouca quantidade de carboidratos consumida mais a síntese de glicose no organismo, processo conhecido com gliconeogênese, que ocorre no fígado, através de compostos como os aminoácidos, glicerol e lactato.

Quando a alimentação é baixa em carboidratos, ela pode causar alguns sintomas como apatia, fraqueza, câimbras, dores de cabeça, entre outros, pois os carboidratos são a fonte primária de energia para o corpo.

Porém, de acordo com defensores da dieta cetogênica, o baixo consumo de carboidratos é respaldado pelo consumo de outros alimentos como verduras e legumes, líquidos e suplementos, fazendo com que os sintomas decorrentes da baixa ingestão de carboidratos sejam reduzidos.

Além disso, há algumas vertentes que indicam que uma dieta rica em gorduras exerce mais efeitos sobre o emagrecimento do que uma dieta com elevado teor de carboidratos.

2. Preservação da massa muscular

A dieta cetogênica poupa a utilização do tecido muscular como fonte de energia devido à boa oferta de proteínas que essa dieta oferece. Com isso, não há necessidade de o organismo quebrar as proteínas musculares em aminoácidos para produzir energia.

3. Controla o apetite

A dieta cetogênica também ajuda a controlar o apetite por causa da alta contração de lipídios da dieta e por causa da boa quantidade de proteínas. Esses nutrientes garantem saciedade ao organismo mantendo o apetite mais controlado reduzindo, então, a ingestão alimentar.

4. Tratamento e prevenção de doenças

Como vimos, a dieta cetogênica tem sido importante no tratamento de doenças, principalmente da epilepsia e a diabetes.

A epilepsia é um distúrbio neurológico caracterizado pela ocorrência de atividades elétricas, mais conhecidas como ataques, com duração curta ou longa, às vezes quase imperceptíveis ou de intensa agitação. A epilepsia pode ter origem genética, adquirida ou desconhecida. Ainda não há dados de prevalência sobre essa doença na população brasileira.

Logo no início da descoberta dessa dieta como tratamento para as crises de epilepsia, ela foi muito utilizada. Porém, com o aparecimento dos medicamentos antiepilépticos, a dieta cetogênica começou a ser esquecida e ressurgiu novamente como uma alternativa para tratamento dos pacientes epilépticos.

Muitos estudos têm comprovado que a dieta cetogênica é bastante eficaz como alternativa de tratamento não medicamentoso para casos de epilepsia, principalmente em pacientes que não respondem ao tratamento medicamentoso.

Leia também => Conheça a dieta paleolítica e siga os hábitos alimentares dos nossos ancestrais

A dieta cetogênica, especificamente os corpos cetônicos derivados do metabolismo das gorduras, é eficaz para controlar as crises epilépticas porque atua diretamente no estresse oxidativo instalado nessas crises, reduzindo, então, esse quadro.

Outra doença que consegue ficar estabilizada com a ajuda da dieta cetogênica é a diabetes. Isso ocorre por causa da baixa ingestão de carboidratos, pois ela oferta até 20% de carboidratos diariamente, ao contrário de uma alimentação normal cuja quantidade de carboidratos é de 55 a 60%.

Ainda, na diabetes tipos 1, essa dieta evita picos de hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue) e na diabetes tipo 2 reduz a resistência à insulina.

Quanto à prevenção de doenças, a dieta cetogênica exerce benefícios ao organismo como o aumento da capacidade antioxidante e a prevenção de mutações do DNA mitocondrial e de morte celular evitando o aparecimento de doenças, principalmente as degenerativas, e até o envelhecimento precoce.

Indicações

Essa dieta é indicada apenas por médicos e nutricionistas para pessoas com problemas de excesso peso, incluindo a obesidade, e para o tratamento e controle de doenças, principalmente a epilepsia e a síndrome metabólica.

Contraindicações

Essa dieta é contraindicada em algumas situações como para pessoas muito idosas, pacientes que já tiveram ou têm insuficiência renal ou hepática, pacientes com doenças cardiovasculares e pacientes em tratamento com medicamentos que sejam à base de cortisona.

Como fazer

Apesar de ser uma dieta que promove o emagrecimento, é preciso saber que um alto teor de gordura fornece muitas calorias. Por isso, sua dieta deve ser balanceada para que a ingestão calórica seja menor do que o gasto, caso contrário, você não utilizará a gordura da alimentação e das reservas corporais como fonte de energia e você continuará com o mesmo peso ou até aumentará de peso.

A dieta cetogênica deve ser iniciada seguindo pelo menos 5 dias consecutivos. Após esse período, é permitido o consumo de alimentos fontes de carboidratos por 2 dias como pães, arroz, massas, com exceção dos alimentos açucarados, e depois voltar a seguir a dieta cetogênica à risca. Essa dieta é feita de forma cíclica.

Essa dieta é um tipo de dieta que não deve ser feita em longo prazo, devido à restrição de alguns nutrientes como os carboidratos. Ela é introduzida ao paciente aos poucos para que haja adaptação, pois o que se tem observado em muitos pacientes é a não aceitação da dieta.

Leia também => Dieta do Mediterrâneo – Como fazer – Cardápio completo de alimentos

Para tratamento de doenças, o médico e o nutricionista é que podem dar as orientações e fazer o acompanhamento de forma individual, dependendo da gravidade ou não de cada caso.

Cardápio

O que evitar
Você deve evitar o consumo dos seguintes alimentos/produtos:

  • Massas
    Pães e biscoitos;
  • Cereais como arroz, trigo, milho, aveia, etc.
  • Leguminosas como feijão, soja, grão de bico, lentilha e ervilha ;
  • Mel;
  • Leite;
  • Sucos de frutas;
  • Frutas de elevado teor de açúcar como melancia, manga, banana, uva e abacaxi;
  • Legumes com alta concentração de açúcar como cenoura e beterraba;
  • Tubérculos como batata;
  • Raízes como mandioca e batata doce;
  • Alimentos doces;
  • Açúcares em geral;
  • Alimentos industrializados;
  • Fast food;
  • Bebida alcoólica;
  • Suplementos, medicamentos e pasta de dente com açúcar em sua composição.

O que consumir

Você pode consumir os seguintes alimentos:

  • Carne vermelha
  • Carne suína
  • Ovos
  • Aves
  • Peixes
  • Queijos
  • Oleaginosas: nozes, castanhas, amêndoas, amendoim, macadâmia, avelã e pistache
  • Azeite de oliva extravirgem
  • Manteiga
  • Embutidos: linguiça, salsicha, presunto, salame
  • Derivados do leite: nata, creme de leite, iogurte sem açúcar
  • Sementes como chia, girassol gergelim
  • Legumes com baixo teor de açúcar
  • Verduras folhosas
  • Frutas com baixo teor de açúcar
  • Frutas com alto teor de gordura como o abacate
  • Líquidos: água, café e chás (adoçados com adoçante natural como a estévia)

Abaixo está uma opção de cardápio baseada na dieta cetogênica. Lembrando que cada dieta deve ser individualizada de acordo com as necessidades nutricionais e as condições clínicas de cada indivíduo, além da presença ou não de patologias.

Leia também => Nova dieta da proteína – Cardápio completo

Café da manhã

  • Queijo
  • Ovos mexidos com bacon
  • Café com adoçante
  • Iogurte sem açúcar
  • Almoço
  • Carne vermelha, suína ou frango
  • Linguiça
  • Salada de folhosos regado com azeite de oliva extravirgem
  • Abobrinha refogada na manteiga
  • Sobremesa: maçã

Jantar

  • Frango ou peixe grelhado no azeite de oliva
  • Omelete
  • Salada de alface, pepino e tomate regados com azeite de oliva
  • Sobremesa: pera

Lanches

  • Oleaginosas (de acordo com a preferência)
  • Vitamina de abacate com iogurte e semente de linhaça

Ceia

  • Iogurte com semente de chia
  • Chá com adoçante

Um comentário

  1. Na dieta cetogenic posso usar BCAA, Glutamine! WHey?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GSuplementos

GSuplementos

Curta-nos no Facebook!