Página Inicial » Dietas e Nutrição » Conheça a dieta paleolítica e siga os hábitos alimentares dos nossos ancestrais

Conheça a dieta paleolítica e siga os hábitos alimentares dos nossos ancestrais

Todas as informações sobre a dieta paleolítica (Paleo), seus prós e contras, cardápio de alimentos permitidos e o que não pode comer.

A dieta paleolítica é antes de mais nada um estilo alimentar. Ela não foi desenvolvida (ou melhor copiada de nossos ancestrais) para perda de peso ou algo do gênero, pois estas são características secundárias. Assim como outras dietas que pregam a abstinência de carboidratos, principalmente os carboidratos simples, por sua capacidade de gerarem uma grande produção de insulina e facilitarem a criação de mais tecido adiposo. Entre as principais características desta dieta, temos o jejum prolongado, a carne sem restrições e nada de carboidratos simples. Entre os tantos adeptos desta nova forma de se alimentar temos os famosos de Hollywood Megan Fox, Channing Tatum e Jessica Biel. Para dizer a verdade, essa maneira de se alimentar não passa de uma versão repaginada dos velhos hábitos alimentares que os nossos ancestrais eram forçados a praticar por causa da pouca oferta de comida da época e para garantir sua sobrevivência.

benefícios e malefícios dieta paleolítica paleoUm dos que mais fizeram a dieta paleolítica ganhar muitos adeptos foi o guru do fitness californiano, Mark Sisson, de 59 anos, que é o responsável pela volta da dieta paleolítica e também pelo rápido retorno midiático que a mesma vem gerando entre os astros hollywoodianos. Ex-maratonista e ex-triatleta, Mark foi forçado a abandonar suas atividades em 1988 devido a diversos problemas de saúde e se aposentar. No entanto, não conseguiu ficar parado. Resolveu pesquisar diversas alternativas alimentares para auxiliar outros atletas.

O que comer na dieta Paleo

cardapio alimentos dieta paelo paleolíticaA proposta que Mark criou é o consumo de proteínas magras, verduras, frutas, açúcares naturais e gorduras de peixes e oleaginosas. Outros pontos importantes da dieta é abolir completamente alimentos industrializados e a não restrição a qualquer quantidade de carnes. Até ai tudo certo, afinal várias dietas se baseiam nisso e variações desta existem aos montes. Porém um ponto bastante polêmico é o veto relacionado a ingestão de leite e seus derivados, grãos, carboidratos e tubérculos em geral. Mark justifica isso dizendo que o organismo ao detectar algo desconhecido trabalha para combatê-lo não sendo totalmente digerido. O corpo entende que a substância estranha é um invasor e tenta eliminá-lo, fazendo com que as funções tireoidianas mais lentas causando uma desaceleração do metabolismo. Porém é bom ressaltar que esta corrente de pensamento, apesar de inúmeros adeptos não é consenso científico, principalmente pelo fato de tratar os carboidratos como sendo algo desconhecido pelo organismo, já que eles são fontes de energia.

Os adeptos da dieta das cavernas também criticam a ausência de carne vermelha na alimentação por ser deficiente em vitamina B12. A dieta gera ainda mais polêmica por causa dessa ênfase no consumo livre de carne. A principal característica da dieta Paleolítica é o consumo de gordura, algo que contraria a opinião da classe médica, principalmente dos cardiologistas, já que a gordura em excesso pode causar as placas de ateroma nos vasos, dando assim maiores chances de infarto aos seus adeptos. A carne, principalmente a vermelha, era a base da alimentação na época dos homens das cavernas e, de acordo com Mark, deveria voltar a ser. As pesquisas nutricionais afirmam que o consumo da carne bovina é importante para a saúde, principalmente para o combate da anemia e para a recuperação de tecidos. Porém em excesso, este tipo de alimento pode vir a causar sobrecarga no sistema renal e retirada de cálcio dos ossos, além de deixar o sangue em estado de acidez prolongada.

Esta maneira de se alimentar vai contra tudo o que a Organização Mundial de Saúde (OMS) indica que, no máximo, 30% das calorias diárias de um indivíduo adulto deve corresponder as proteínas, já que em quantidades mais elevadas este nutriente é expelido pelo corpo sem ser absorvido. Além disso, opções de carnes brancas e peixes também devem fazer parte do cardápio diário para que a alimentação seja considerada balanceada e saudável. Desta forma é fundamental a realização de uma consulta médica antes de iniciar qualquer dieta, principalmente se tratando de crianças, idosos, hipertensos, portadores de diabetes e doenças cardíacas. Além disso, a dieta paleolítica prevê refeições bastante calóricas, menos vezes por dia, sendo que assim períodos de jejum são comuns. Veja quais são os alimentos permitidos dentro da dieta paleolítica:

Alimentos permitidos – Confira a dieta paleolítica

Sinal verde para

  • Carne e peixe, menos processado possível;
  • Legumes folhosos;
  • Todas as frutas, principalmente silvestres, como o morango;
  • Sementes de oleaginosas como: sementes de linhaça, girassol, cacau, nozes e amêndoas;
  • Mariscos;
  • Ovos.
Desta maneira, os alimentos proibidos na dieta paleolítica são:

Sinal vermelho para

  • Açúcar ou qualquer outro alimento adoçado;
  • Leite e outros alimentos lácteos;
  • Cereais e todos os alimentos produzidos com cereais;
  • Batata ou batata doce;
  • Todas as leguminosas e grãos, incluindo feijão, soja e lentilha;
  • Qualquer alimento industrializado, isso inclui laticínios e alimentos processados.
Benefícios da dieta Paleolítica versus…

Rica em fibras

Rica em proteínas

Rica em vitaminas, minerais e antioxidantes

Grande quantidade de óleos polinsaturados, fontes de ômega 3

Pequena quantidade de gordura saturada e de sal

Incentiva o consumo de água

…Malefícios da dieta Paleolítica

A falta de preocupação com a ingestão de gordura em demasia

Proibição ao consumo de carboidratos

Proibição ao consumo de grãos e tubérculos.

Pequena quantidade de fontes de cálcio, como o leite e seus derivados

Grande quantidade de carne vermelha

Incentiva o jejum prolongado

Conclusão:
Pois bem, é viável fazer a dieta paleolítica? Eu diria que depende muito das circunstâncias. Ela tem fundamento no que se refere a não utilização de alimentos industrializados e ausência de açúcares não naturais. Porém no que diz respeito ao restante, temos que ter bastante cuidado. O que os defensores desta dieta apontam tem de ser questionado. Com certeza nos primórdios da humanidade a alimentação era mesmo muito diferente. Porém, nosso organismo foi evoluindo, junto com a civilização e novos meios de alimentação. Desta forma, acreditar que nosso corpo se adaptará bem a uma dieta como esta é bastante questionável. Mas como gosto de optar pela parte científica, nenhum estudo comprova o que sustenta esta dieta, de que uma alimentação sem nada de carboidratos seria mais saudável. Em alguns casos específicos até existem comprovações de certa eficácia, mas com suas particularidades. Nosso corpo precisa de equilíbrio e não de restrições. Pense muito bem nisso antes de entrar em propostas mirabolantes.

Artigo atualizado por Sandro Lenzi em 21/02/2014

13 Comentários

  1. Para um artigo sobre o tema e com um título como “saiba tudo…” achei a matéria muito pobre e com ideias errôneas sobre a dieta páleo e Mark Sisson.

  2. não li o artigo todo; aliás, praticamente não li nada, porque me irrita PROFUNDAMENTE a ignorância do comentário feito logo na primeira frase e, se alguma dieta começa por assentar nessa base errada, não posso, nem quero perder o meu tempo a ler. Mas vou deixar a indicação na esperança que ALGUÉM, uma pessoa que seja, possa entender e aprender com a ignorância da informação.

    Nunca, em circunstância alguma, pode o corpo humano sobreviver SEM hidratos de carbono, ou carboidratos. É um dos macronutrientes do funcionamento do corpo humano e este NÃO PODE prescindir deles. Por isso, dizer de uma dieta: “… e nada de carboidrato” é um crime à educação das pessoas e da maior ignorância.

    Na realidade o grupo dos hidratos e carbono é/deve ser o maior na nossa dieta diária, exceto se a pessoa for atleta de alta competição, em que deve haver uma maior incidência de proteína.

    Mais informo que a grande maioria dos alimentos à face da terra contém uma certa dose de hidratos de carbono e que estes são extremamente saudáveis (produtos diários, fruta, legumes (exceto os de folha verde, como as couves), cereais, frutos secos, etc.)

    Espero não ter ofendido, mas não é a primeira vez que ouço esta afirmação; é uma mensagem veiculada pelos media de forma difusa e contribui para a formação de mitos falsos num mundo onde a alimentação já é um enorme problema

    Helena

    • Pois é Helena, concordo com você. Eu ia fazer minhas próprias críticas mas você me superou antes de começar a escrever. Parece que a matéria foi bem-intencionada mas mal pesquisada ao mesmo tempo. Que pena, porque ela está entre as primeiras a aparecer no google search “dieta paleolítica”.

    • Helena, acho que você precisa ler muito, mas muito mesmo, para falar a respeito desse assunto.
      Falar do que não conhece é tão raso!

    • Helena, me diga sobre como animais herbívoros são capazes de sobreviver sem consumir nem um tipo de alimento rico em carboidratos?

      como bacon, ovos e queijo (e todo tipo de derivado animal) todos os dias e minha saúde está ótima, todos os animais do nosso planeta tem a capacidade de transformar proteína em carboidrato.

  3. PS – vamos aprender a identificar os hidratos de carbono que são “maus” para qualquer dieta e devem ser evitados ou podem mesmo ser eliminados:

    – gorduras (não vegetais e as processadas)
    – açúcares refinados (absolutamente NÃO inclui açúcar da fruta e mel e de alguns legumes, que são saudáveis)
    – farinhas refinadas (e outros alimentos refinados como o arroz…)

    PPS – não tenho qualquer pretensão quanto a esta pequena lista estar completa. Tem apenas o objetivo de fornecer alguma orientação e, ao mesmo tempo clarificar a minha afirmação na mensagem anterior

    Helena

  4. Helena é muito boa em recitar a pirâmide alimentar criada pela FDA a uns 30 anos e sem bases científicas suficientes para sustenta la…. 🙂

  5. Helena… Eliminar gorduras NÃO VEGETAIS? Então vc acha que um indivíduo tem mais saúde cardíaca consumindo óleo vegetal de girassol para preparar alimentos, do que outro que ingira BANHA DE PORCO. Ou Prepare OVOS MEXIDOS com MANTEIGA? Vou te dizer, a 1 ano eu ingiro uma média de 20 ovos mexidos preparados com MANTEIGA, POR DIA! Eu não eliminei os carbos da minha dieta.. pois frutas são fontes de carbo. Eu como Carne, ou, Peixe, ou, Frango no almoço com muitos legumes e verduras. Eu tenho 1,83m de altura, 86.5 Kg, tenho 10.5% de gordura corporal. Isto é, meu corpo tem 9.08Kg de gordura e 77.41Kg de massa magra (ossos, músculos e vísceras) Falta pouco para eu ter o abdome com os músculos aparentes.. a parte superior já aparece. Pois é.. sou um moreno alto, bonito, saudável, rápido e sensual! ahahhaha Brincadeiras a parte… Minha saúde cardíaca vai muito bem obrigado. Após um treino, onde faço Levantamento Terra com 150Kg (coisa que 1% da população devoradora de massas, grãos e leite, não conseguem) eu tomo 1 açaí com banana (sim! carbo! Porém, esse é um dos poucos momentos no dia que eu ingiro carbo). Agora, leia esse artigo sobre colesterol.. e caia para trás! kkkk http://primalbrasil.com.br/porque-voce-nao-deveria-diminuir-seu-colesterol/

    • CORREÇÃO!!! Na parte que eu falo “(coisa que 1% da população devoradora..)” na verdade eu quis dizer… “Coisa que nem 1% da população devoradora de grãos, leite, conseguem fazer…) AGORA SIM! hehehe

  6. Malefícios da dieta:

    Pequena quantidade de fontes de cálcio, como o leite e seus derivados

    ———-

    Gente, por favor, cálcio não existe somente no leite e em seus derivados!
    Os vegetais verde-escuro, só pra dar um exemplo são ricos em cálcio, entre outros alimentos…

  7. Efectivamente este artido é minimalista, mas, se lermos mais 2 ou 3 em complemento podemos tirar melhores conclusões. De todas as formas a vida ensina-nos a não nos guiar-mos por uma só fonte de informação. O importante é ler vários artigos, compará-los, ler todos os comentários, e tirar as suas próprias conclusões. P.S.- As experiências pessoais também são bastante minimalistas, porque cada caso é um caso.

  8. Julia, dez para o seu comentário, lamento que Helena não se informe o suficiente para se pronunciar sobre determinado assunto. Fiz a dieta do carboidrato zero, perdi aprox. oito quilos, após esse período consigo manter meu peso estável com a diminuição do consumo de carboidrato. Minha saúde agradece muito. Cada caso é único. Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!