Página Inicial » Esteroides Anabolizantes » Clomid (Citrato de clomifeno): Como funciona, efeitos colaterais e sua função em ciclos de esteroides anabolizantes

Clomid (Citrato de clomifeno): Como funciona, efeitos colaterais e sua função em ciclos de esteroides anabolizantes

Indicado para mulheres que enfrentam problemas de infertilidade, o citrato de clomifeno (Clomid) é usado também por atletas que fazem uso de esteroides anabolizantes, saiba o porquê.

Clomid (Citrato de clomifeno)

Em busca do corpo perfeito muitas pessoas acabam recorrendo aos anabolizantes e medicamentos com o objetivo de aumentar a massa muscular através da maior produção de testosterona pelo organismo.

Isso está se tornando cada vez mais comum e é claro que todos sabem que os riscos de consumir qualquer medicamento sem orientação médica são enormes e podem gerar muitos problemas de saúde.

O que é o Clomid e sua indicação

Esse remédio sintético estrogênico e é indicado pelo médico para as mulheres que enfrentam problemas de infertilidade por causa da anovulação, ou seja, ausência de ovulação. É preciso ressaltar que o Clomid é específico para esse tipo de infertilidade, não sendo indicado em outras causas.

O Clomid funciona da seguinte maneira: ele melhora o crescimento dos óvulos, ajudando no seu desenvolvimento e com isso eles podem ser encaminhados para o útero e serem fecundados. Isso ocorre, em média, de 6 a 12 dias após a administração do remédio.

Como funciona o Clomid

Ocorre uma elevação do hormônio luteinizante (LH) e do hormônio folículo estimulante (FSH). O LH é uma proteína responsável por regular a secreção da progesterona e também ajuda no controle dos Folículos de Graaf e na ovulação. No homem, esse hormônio é responsável por estimular as células de Leydig a produzir a testosterona.

Já o FSH que é sintetizado pela adenoipófise e pelos gonadotrofos, tem como objetivo regular o crescimento, o desenvolvimento e maturação durante a fase da puberdade e outros processos diretamente relacionados com a reprodução humana.

O FSH e o LH atuam em conjunto nesse aspecto. Só é possível aumentar a síntese de LH e FSH por causa do bloqueio de estrogênios que o Clomid oferece.

Efeitos colaterais do Clomid

Uma reação muito comumente encontrada nos pacientes que usam essa medicação (cerca de 10%) é o aumento nos ovários. Também há maiores chances de ocorrer uma gravidez ectópica, tubária ou ovariana.

Outros sinais e sintomas que podem acometer os usuários do Clomid são:

  • sensação de calor repentino, também conhecido como fogachos;
  • face avermelhada;
  • dor nos seios e na região abdominal;
  • dor de cabeça;
  • tonturas e vertigens;
  • dificuldade para dormir;
  • dor na hora de urinar;
  • maior frequência urinária;
  • desenvolvimento de endometriose e agravamento do quadro;
  • catarata e neurite óptica, mas são casos raros;
  • visão borrada e aumento de pontinhos brilhantes (esses distúrbios podem ser irreversíveis, mas isso depende diretamente da dosagem e da duração do tratamento);

Contraindicações

Pessoas que possuam hipergliceridemia pré-existente não devem tomar o Clomid já que a medicação podem elevar as taxas dos triglicérides. Mulheres que tenham miomas ou que sofram da Síndrome do Ovário Policístico devem tomar a medicação com certa cautela.

Também não deve ser administrado por mulheres grávidas já que pode ocorrer a gravidez ectópica e em outros locais fora do útero.

Também pode ocorrer uma maior probabilidade de deformidades nos fetos e Síndrome de Down. Porém, não há uma quantidade estatisticamente significante para apontar que esses casos estão relacionados com o Clomid. Não deve ser usado em lactantes, pois pode reduzir a produção do leite materno.

Porque o Clomid é usado durante os ciclos de esteroides

Para entender bem esse processo, primeiro você precisa saber o que é um ciclo de esteroides anabolizantes. Os atletas de grande parte, principalmente os fisioculturistas, costumam utilizar agentes anabólicos, os esteroides para melhorar o desempenho no dia da prova.

Eles têm um efeito muito parecido com o da testosterona e conseguem oferecer crescimento celular elevado, principalmente do tecido muscular e ósseo.

A grande questão aqui é que esse tipo de hormônio esteroide suprime a ação da testosterona. Isso acontece porque os hormônios esteroides enviam a seguinte mensagem para a hipófise: pare de tentar produzir testosterona, pois já há uma grande quantidade dela aqui.

Quando os atletas chegam no dia da prova, os seus níveis de testosterona estão extremamente baixos. Dessa forma, eles precisam fazer com que essa taxa se normalize assim que cumprirem o seu objeto.

O Clomid é utilizado justamente para aumentar a produção de testosterona de forma “natural”. Aumentando os níveis de LH e FSH, ocorre maior síntese de testosterona como um efeito em cadeia.

Como fazer uso do Clomid durante os ciclos?

As doses do Clomid dependerão do tipo de esteroide que você está utilizando no momento. É preciso esperar um pouco para que os níveis dos androgênicos estejam um pouco mais baixos ou então será um completo desperdício.

O grande objetivo de tomar o Clomid ao final dos ciclos é para não perder massa muscular já que os esteroides precisam ser interrompidos e a falta de testosterona iniciará um processo de catabolismo muscular.

Não há uma receita de bolo para tomar o Clomid. Porém, a maioria das indicações é para que você inicie dosagens de 150 mg/dia durante 10 dias e vá reduzindo 50 mg a cada 10 dias até que se complete o mês.

A melhor opção mesmo é procurar um médico especialista para que ele possa fazer a prescrição correta reduzindo as chances de efeitos colaterais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!