Página Inicial » Emagrecimento » CLA (Ácido linoléico conjugado) – Para que serve, benefícios e efeitos colaterais

CLA (Ácido linoléico conjugado) – Para que serve, benefícios e efeitos colaterais

Proibida a venda no Brasil pela Anvisa desde 2007, o Ácido linoléico conjugado (CLA) mostrou através de estudos, eficácia na perda de gordura, mas seus efeitos colaterais não valem o custo benefício.

CLA (Ácido linoléico conjugado)

Quem frequenta academias e faz atividades físicas intensas costuma consumir suplementos alimentares para melhorar a performance e ganhar massa muscular, que é o objetivo principal desse grupo. Um desses suplementos é o CLA (ácido linoléico conjugado). Essa substância é um tipo de ácido graxo (gordura) que é produzida por bactérias que vivem no interior do intestino de animais ruminantes. Também está presente em alimentos que vêm desses animais como carnes e laticínios.

CLA x óleo de Cártamo

O óleo de cártamo é um suplemento que também contém o ácido linoléico, porém as taxas dessa substância nele são muito pequenas. O que está presente no óleo de cártamo, na verdade, é um CLA sintético. A composição do CLA dos ruminantes é de 70% dos isômeros na versão c9 e t11, enquanto que no óleo de cártamo temos o t10 e o c12 que estão diretamente relacionados com prejuízos para a saúde, mas ocorrem algumas mudanças benéficas no organismo e perda de gordura.

CLA queima ou não gorduras?

Muitos praticantes de exercícios físicos fazem uso do CLA não apenas para aumentar a massa muscular, mas também para detonar as gorduras extras. Um estudo realizado pela nutricionista Adriana Prais Botelho e publicado no Jornal da Unicamp foi realizado utilizando o CLA em 154 seres humanos (todos entre 25 e 55 anos e com IMC de 25 a 35 kg/m2) tanto na versão em cápsula quanto na forma de alimento. Os grupos foram divididos na seguinte maneira:

• Grupo 1: recebeu 3 cápsulas por dia, cada uma com 1 g;

• Grupo 2: 3 cápsulas de efeito placebo;

• Grupo 3: 500 ml por dia de leite semidesnatado enriquecido com CLA;

• Grupo 4: 500 ml por dia de leite semidesnatado sem qualquer enriquecimento;

A pesquisa durou 12 semanas e houve coleta de sangue em 3 momentos: antes de iniciar a pesquisa, depois de 6 semanas e ao final das 12 semanas. O resultado foi que não se constatou nenhuma mudança na composição corporal quanto ao tecido adiposo.

Um outro estudo divulgado pelo European Journal of Nutrition em 2012 também divulgou o mesmo resultado depois de uma pesquisa com seres humanos: não houve mudanças relevantes da composição de tecido gorduroso a longo prazo. Assim, pode-se perceber que a promessa de perda de gordura como divulgado em diversos locais pode ser apenas uma jogada de marketing.

Leia também: Os melhores suplementos para queimar gordura e emagrecer

Porém a edição de junho do American Journal of Clinical Nutrition teve resultados contrários. A pesquisa envolveu 180 homens e mulheres todos com o IMC entre 25 e 35 kg/m2. Foram divididos em dois grupos sendo que um ingeriu pílulas placebo e o outro as cápsulas de CLA. O resultado foi o seguinte:

• Grupo placebo: não houve nenhuma mudança na composição corporal, muito menos na perda de gordura;

• Grupo CLA: sofreram uma perda de gordura corporal entre 7 e 9% sem mudar os hábitos de vida;

Os benefícios do CLA

A esse ácido graxo são atribuídos inúmeros benefícios como a melhora do sistema imune, aumento da mineralização óssea, redução da aterosclerose (substitui o LDL que é o colesterol ruim pelo HDL, um bom colesterol que ajuda na síntese das células e auxilia em outras funções do organismo) e a melhora na performance dos exercícios aumenta a massa muscular.

Além das cápsulas de CLA é possível encontrar essa substância de forma natural em alimentos como carnes de animais ruminantes e laticínios. O problema é que para um indivíduo alcançar a quantidade ideal de CLA que deve ser consumida por dia apenas com alimentos, seriam necessários cerca de 3 mil calorias de carne ou 4 mil calorias de queijo. Dessa forma, a melhor opção são as cápsulas que conseguem ofertar 3 g em 6 cápsulas diárias, duas antes de cada refeição.

Pontos negativos e efeitos colaterais do CLA

Apesar de ter muitos benefícios, o CLA também tem o seu lado negativo. Porém, se você estiver consumindo-o com o acompanhamento de um profissional dificilmente enfrentará problemas. Veja abaixo alguns desses efeitos negativos causados pelo CLA:

• Interfere na ação da insulina: o ácido linoléico aumenta o estresse oxidativo (produção de radicais livres) piorando a ação da insulina;

• Aumenta os níveis de gordura no fígado: esse efeito adverso, até o momento, só foi encontrado em ratos. Espera-se esse efeito devido a um receptor encontrado nesse órgão chamado de PPAR responsável por controlar o metabolismo lipídico nesse órgão.

• Ação inflamatória: o CLA passa a induzir a resposta inflamatória do tecido adiposo tendo como consequência um prejuízo para todo o organismo.

• Outros efeitos: alguns outros efeitos adversos podem ser encontrados com o uso do CLA como dor de estômago, diarreia, flatulência e náuseas.

Leia também: Lipo 6 – Seus diferentes tipos, efeitos colaterais e como tomar

É importante ressaltar que esse suplemento não é liberado pela ANVISA para venda aqui no Brasil. Isso se deve justamente ao seu custo-benefício que não é satisfatório, pois a quantidade de benefícios não superaria a de malefícios que esse suplemento pode causar ao corpo, ainda mais se for utilizado de maneira indiscriminado o que é bastante comum.

Referências:
BOTELHO, Adriana Prais. Efeitos de suplemento alimentar são avaliados por nutricionistas na FEA. Jornal da Unicamp. Faculdade de Engenharia de Alimentos. Campinas. n. 497. 6 a 12 de junho de 2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!