Página Inicial » Esteroides Anabolizantes » Anabolizante natural vs Anabolizante sintético, uma análise completa!

Anabolizante natural vs Anabolizante sintético, uma análise completa!

Conheça 13 anabolizantes naturais, suas diferentes aplicações e formas de uso, e porque são mais indicados do que os anabolizantes sintéticos. Veja as principais diferenças entre eles neste artigo!

Anabolizantes Naturais

Na busca por melhores resultados, existem diversas substancias que podemos lançar mão. Entre elas, temos os anabolizantes naturais e sintéticos. Porém, existem diferenças fundamentais entre ambos, que fazem toda a diferença não apenas para os resultados, mas também para sua saúde.

Mas antes de falarmos de efeitos, formas de usar e melhores produtos, é fundamental entender um ponto básico: qual a diferença entre anabolizantes naturais e sintéticos?

Anabolizantes naturais vs sintéticos, quais as diferenças?

Antes de falarmos de sua diferença, temos que entender o que são anabolizantes. Ferreira (2007) mostra que  esteróides anabolizantes são drogas sintéticas, na sua grande maioria, derivados da testosterona e  que podem ser utilizados de forma parenteral ou oral.

Neste caso, perceba que já há um elemento interessante. Para a literatura, para que seja considerado um anabolizante (esteroide), precisamos de uma droga sintética. Neste caso, a nomenclatura “anabolizante natural” já conta com um erro conceitual. Mas para tornar o texto mais didático, continuaremos usando este termo.

Os anabolizantes sintéticos são feitos a partir de testosterona, na maior parte. Porém, existem casos variados. Em relação aos anabolizantes naturais, sua principal diferença está na ação. Enquanto os anabolizantes naturais agem de forma indireta, através da otimização do metabolismo de hormônios anabólicos, os sintéticos atuam de forma mais agressiva.

Os anabolizantes naturais estimulam a produção de certos hormônios anabólicos, em grande parte por meios naturais. Já os sintéticos vão no ponto direto, alterando consideravelmente o metabolismo. Sim, os esteroides sintéticos até tem um resultado mais rápido, mas a lista de contraindicações é extensa. Já falei sobre isso neste artigo (Esteroides anabólicos, motivos para você NÃO usar!).

A principal ação dos anabolizantes naturais é estimular os processos hipertróficos, mas sem serem agressivos ou causarem problemas para a saúde. Eles atuam no aumento da produção e utilização de determinados hormônios, na cicatrização de microlesões e na otimização da síntese proteica. Desta forma, eles são muito menos agressivos e não geram problemas de saúde.

Outro fator importante é que os anabolizantes naturais não geram “masculinização” sendo fortemente usados por mulheres.

Para entender por que não existe risco na utilização de anabolizantes naturais e por que não podem ser comparados aos sintéticos, pense da seguinte forma. Os esteroides naturais são compostos por vitaminas e minerais, que em determinada combinação, atuam diretamente em seu metabolismo, favorecendo o anabolismo.

Já os sintéticos, são combinações feitas em laboratório, para aturem diretamente na produção e síntese destes hormônios. Mas como o corpo tem uma inter-relação entre os inúmeros sistemas, não há como não afetar o funcionamento de determinadas estruturas e conjunto de órgãos, com sua utilização.

Enfim, a utilização de anabolizantes naturais é muito mais indicada do que a de sintéticos. Isso fará com que você tenha bons resultados, sem que sua saúde seja sacrificada para isso.

Veja agora, quais os 13 principais anabolizantes naturais do mercado e de que forma eles agem!

Anabolizantes naturais, quais as melhores opções do mercado?

1. Tribulus Terrestris

Talvez um dos anabolizantes naturais mais conhecidos do mercado. Este anabolizante natural, que na verdade, é um fitoterápico, tem uma relação direta com o aumento da produção de testosterona. A Tribulus Terrestris foi inicialmente, utilizada e estudada para ser usada como tratamento para disfunção erétil. Como foi possível, em determinados cenários, cerificar a sua ação direta sobre a testosterona, ela passou a ser usada para fins de desempenho e hipertrofia.

Temos um artigo específico aqui no site onde falamos tudo a respeito da Tribulus Terrestris, todos os seus benefícios, efeitos colaterais, contraindicações e melhores marcas do mercado. O artigo pode ser lido no link a seguir:  Tribulus terrestris: Para que serve, benefícios e efeitos colaterais.

2. Beta Sitosterol

Por ser uma substância que se assemelha em muito com o colesterol e este, é uma das bases para a produção de testosterona, o Beta Sitosterol é tido como um anabolizante natural.

Ele pode ser encontrado em diversas plantas e frutas, como o abacate, por exemplo. Neste sentido, ele é um anabolizante natural que auxilia no aumento da produção e síntese da testosterona.

3. Feno-grego

Este é um esteroide natural pouco conhecido do grande público. De forma geral, o feno-grego não atua na melhora dos níveis de testosterona, como grande parte dos anabolizantes naturais aqui já citados. Sua atuação é na redução dos níveis estrogênicos no corpo, o que naturalmente, gera uma melhora na utilização da testosterona.

Ele tem atuação direta no emagrecimento, através da melhora de inúmeros mecanismos, como do sistema digestório e no controle da glicose e da insulina (o que o torna muito indicado para casos de diabetes, sob prescrição médica). Além disso, o feno-grego melhora consideravelmente a produção e síntese do LDL.

4. Quelato de calcio D-aspártico

Conhecido popularmente como ácido D-Aspártico (DDA), ele atua no aumento da produção de testosterona no organismo. Ele atua em níveis nervosos e hormonais, para a melhoria de secreção de hormônios como a testosterona. Além disso, o Quelato de calcio D-aspártico também tem uma importante função de melhora do sistema imunológico. Ácido D Aspástico.

Um suplemento que quando ficou famoso, causou um verdadeiro alvoroço. Alguns estudos, em início, mostravam um aumento de mais de 30% na produção natural de testosterona com seu uso! Ou seja, ele seria um anabolizante natural tão ou até mais poderoso, do que os sintéticos. Porém, há muitas falhas metodológicas nos estudos que o consagraram. Existe sim um aumento da testosterona com a sua utilização, mas em níveis bem mais modestos do que se esperava no início das pesquisas.

5. Picolinato de Cromo

O Picolinato de Cromo é um esteroide natural muito usado para quem busca emagrecer ou melhorar sua definição muscular. De forma geral, podemos dizer que sua ação mais importante, que o faz estar nesta lista, é o controle da insulina. Como a insulina é um importante hormônio anabólico, quanto mais ela estiver controlada, melhor para o emagrecimento e principalmente, para a hipertrofia. O Picolinato de Cromo é muito útil para esta finalidade, mas deve ser ingerido com cuidado, pois a ingestão diária sem acompanhamento, pode trazer problemas para a saúde.

Para tirar maiores dúvidas a respeito do Picolinato de Cromo, recomendamos também ler nosso principal onde abordamos com maior profundidade e respondemos todas as perguntas sobre essa substância. Segue o artigo: Picolinato de cromo: inibe a vontade de comer doces e auxilia no emagrecimento.

6. Beta Ecdisterona

Este é um anabolizante natural que vem tendo sua utilização aumentada consideravelmente nos últimos anos. Suas principais funções são a melhora da retenção do nitrogênio e da síntese proteica. Desta maneira, a recuperação, após um treino intenso, é muito mais rápida e eficiente.

Além disso, há uma melhora considerável nos níveis de colesterol e glicose circulante, o que auxilia ainda mais os processos hipertróficos.

7. Dimetilglicina

Além de melhorar consideravelmente os níveis de antioxidantes no organismo, o que potencializa a recuperação em treinos mais intensos, a Dimetilglicina ainda atua na melhora da síntese proteica. Isso faz com que ela seja muito usada para o aumento do desempenho nos treinos.

8. Coleus forskohlii

Oriunda de uma planta nativa do sul da Ásia, a coleus forskohlii é muito usada para a potencialização dos processos de lipólise. De forma geral, ela é usada há muitos séculos para tratar diversas patologias, principalmente de ordem cardíaca.

Foi possível verificar um aumento dos processos de lipólise após a sua utilização. Além disso, a coleus forskohlii ainda tem efeito vasodilatador, o que promove uma recuperação muscular muito mais rápida e eficiente.

9. Turkesterone

Oriundo de uma planta eurasiana, o turkesterone tem um efeito direto no metabolismo. Com efeitos anabólicos, ele pode ser usado para o aumento da testosterona circulante, na otimização da síntese proteica e também na lipólise.

Portanto, ele tem um efeito muito interessante para quem busca melhorar seu corpo como um todo.

10. Extrato de Eurycoma Longifólia

O nome é estranho, mas o efeito é bastante procurado. Também conhecida pelo nome de Pasak Bumi, o Extrato de Eurycoma Longifólia tem efeito sobre a produção e utilização de testosterona. Era usada para a melhora da saúde e do rendimento físico como um todo, além de ser considerada uma planta afrodisíaca.

Também conhecido como o Viagra da Ásia, o Extrato de Eurycoma Longifólia vem sendo amplamente utilizado por praticantes de musculação.

11. Salsaparrilha

Uma planta originária da américa central, que foi utilizada durante muitos anos como planta medicinal. Pelo fato de uma das doenças que eram curadas pela Salsaparrilha, ser a disfunção erétil, passou-se a observar um aumento no anabolismo muscular.

Ela aumenta os níveis de testosterona e consequentemente, melhora a síntese proteica. A Salsaparrilha ainda conta com um complexo sistema de vitaminas e minerais em sua composição.

12. ZMA

Provavelmente um dos anabolizantes naturais mais conhecidos pelo grande público. Criado com um composto de zinco, magnésio e vitamina B6, o ZMA possui uma combinação que estimula o aumento da produção de testosterona.

Dentre os tantos anabolizantes naturais aqui apresentados, o ZMA não é o mais poderoso no aumento da testosterona, mas pode ser bastante útil na composição da dieta.

Para esclarecer maiores dúvidas sobre esse suplemento, também temos um artigo bem completo sobre o ZMA que pode ser lido aqui: ZMA: O que é, como tomar, efeitos e benefícios.

13. Arginina + Ornitina

Estes dois aminoácidos são muito usados, de forma combinada, para otimizar a eliminação de gordura e melhora da recuperação muscular. Ao ingerir, nas doses certas, a combinação de L-arginina e ornitina, teremos um aumento na produção de GH, o que otimiza muito a eliminação de gordura.

Além disso, esta combinação ainda pode causar uma melhora considerável na síntese proteica.

Cuidados com os anabolizantes naturais

O fato de que os anabolizantes naturais têm muito menos contraindicações e podem ser usados em longo prazo, não os exime de cuidados na utilização. Muitos anabolizantes naturais ainda não são unanimidade científica e tem estudos que mostram pouca ou nenhuma eficácia.

Além disso, assim como na dieta e na suplementação, as quantidades, épocas e forma de ingeri-los, são fundamentais. Por isso que antes de iniciar o uso de qualquer uma dessas substâncias, um profissional deve ser consultado para avaliar as reais necessidades e indicar a utilização correta.

Sem contar, que se não houver uma dieta alinhada e um treino eficiente, mesmo o melhor dos anabolizantes naturais, não trará resultados consistentes. Eles são potencializadores, mas jamais farão o trabalho todo. Treino, dieta e descanso, são insubstituíveis, independentemente de qual seja o seu objetivo ou seu nível de treinamento. Bons treinos!

2 Comentários

  1. O artigo poderia ser acrescido de inúmeros outros pre hormonais naturais da flora brasileira, deixando um pouco de lado esses princípios ativos importados e desconhecidos por boa parte dos que praticam atividade física, temos aí. Marapuama, Guarana, Catuaba, Ginko nacional e vários outros.,

  2. Estou fazendo ciclo de oxandrolona, gostaria de saber se preciso fazer terapia pós ciclo e qual produto seria mais indicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!