Página Inicial » Motivação » 4 dicas para evitar as sabotagens de seu cérebro e manter o foco nos treinos

4 dicas para evitar as sabotagens de seu cérebro e manter o foco nos treinos

Pode não parecer, mas aqueles momentos em que você deixa de treinar por preguiça, ou que você burla sua dieta sem motivo, são todos reflexos de como seu cérebro age. Veja mais neste artigo!

Por que será que algumas pessoas não conseguem parar de treinar, enquanto outras não conseguem completar uma semana inteira na academia? Por que algumas pessoas são mais determinadas que outras? Será que isso é apenas uma falha de caráter? Acredito que não. Até existem fatores ambientais e sociais que impulsionam ou tornam o comportamento inativo, mas com certeza é o cérebro que permite que isso aconteça. Cada vez mais a neurociência vem mostrando que o cérebro é responsável por uma série de comportamentos que temos em nosso dia a dia e que é possível alterá-los.

Motivação - 4 dicas para manter o foco nos treinos

Primeiramente, somos seres de hábitos e estes interferem diretamente em nossos circuitos cerebrais. Você treina em que dias? Depende? Garanto que você tem dificuldades em manter sua rotina de treinos! Você sofre por antecipação o dia inteiro quando tem que ir para a academia? Diga-me quantas vezes por mês você falta ao treino? Com certeza muitas!

Nosso cérebro está condicionado primordialmente a duas coisas primitivas: manutenção da vida e busca pelo prazer. Quando uma destas duas coisas é afetada, o cérebro faz de tudo para sair de tal situação. Por exemplo, por que é tão bom comer quando estamos com fome? Por que isso inunda os centros cerebrais de prazer. O mesmo acontece com o sono, a sede e outras necessidades básicas.

Leia também: 7 atitudes para vencer a preguiça na hora de treinar

Resumindo um pouco disso tudo que falamos até agora, seu cérebro sempre vai buscar manter a vida e o prazer, baseado em hábitos.

Vamos agora pensar em como isso afeta o nosso cérebro e como o cérebro sabota algumas coisas em nosso dia a dia.

Sabotagens do cérebro e exercício físico, qual a relação?

Se o cérebro busca o prazer e a manutenção da vida, além dos hábitos, como podemos evitar as famosas sabotagens ao treino? É mais complexo do que parece, mas vamos lá! Primeiro, vamos aos dois primeiros itens!

O exercício físico impõe uma quebra da homeostase, o que faz com que o cérebro receba sinais recorrentes de ameaça ao bom funcionamento do organismo. Desta maneira, através da coordenação de estímulos, o cérebro vai tentar de todas as formas acabar com esta quebra. Por isso, quando começamos a treinar, sentimos dores sem explicação e aparecem milhares de motivos para terminar o treino e ir descansar.

Já no que se refere à busca pelo prazer, o treino causa sensações desagradáveis, dores, cansaço e outras. Por isso, muitos afirmam que o momento mais prazeroso de qualquer treino é quando ele acaba.

Mas então, partindo de níveis cerebrais, treinar é ruim, certo? Eu diria que depende! O fator hábito também é muito importante!

Não fomos preparados para nos exercitar sem objetivo claro. Temos grandes resquícios de nossos ancestrais pré-históricos, onde estes precisavam usar de maneira consciente todas as energias que possuíam, pois não tinham alimentos disponíveis a todos os momentos. Desta maneira, subir numa esteira e correr no mesmo local durante uma hora, é interpretado pelo cérebro como um esforço inútil. Estes três fatores explicam talvez o motivo que faz com que a maioria das pessoas não consiga se manter ativa.

Porém, quando o cérebro vai sendo reprogramado pela rotina, as sensações de desconforto e de quebra da homeostase passam a ser menores proporcionalmente ao tempo em que o hábito é cultivado. É aquela história que diz que jogador de futebol relaxa nas férias com a boa e velha pelada com os amigos.

Quando seu cérebro passa a não ver mais o exercício físico como uma ameaça e ele passa a ser um hábito, pronto, você conseguirá se manter ativo sem esforço. O mesmo vale para a alimentação. Mas como fazer isso? É o que vou tentar mostrar!

Como acabar com as sabotagens do cérebro e fazer o exercício físico um hábito.

Leia também: 5 metas que você precisa estabelecer para ter melhores resultados

Como somos seres de hábitos, precisamos de algumas situações para que o cérebro interprete o exercício físico como algo bom e assim, pare de sabotar suas práticas. Cada pessoa reage de uma maneira diferente, mas algumas dicas como essa permitem melhoras consideráveis.

4 dicas para acabar com a sabotagem

1° Busque recompensa:
Lembra que o cérebro busca prazer? Permita-se algo que gosta ao final do treino, desde que não seja um pote de sorvete ou algum alimento que não seja saudável! Se não sabe o que, experimente parar e sentir a sensação de prazer que a serotonina causa depois que seu treino acaba. Lembre-se desta sensação sempre que sentir vontade de burlar seu treino.

2° Vá treinar, mesmo sem vontade:
Quantas vezes você foi treinar sem vontade e quando chegou lá, treinou normalmente, até mais motivado (a) do que o normal? Isso acontece por que sofremos muito por antecipação e nosso cérebro busca sempre acabar com o sofrimento, antes que ele aconteça. Vá treinar, mesmo que seu cérebro diga que não!

3° Permita o descanso:
Ele é fundamental para que o cérebro não veja o treino como uma ameaça a vida. Mas isso depois do treino, que fique bem claro. Treinar forte e depois descansar, mostra para o cérebro que o exercício físico não é uma ameaça.

4° Saiba por que você treina:
Se exercitar sem motivo é o principal fator de desistência das pessoas. Sofrer sem saber por que, faz com que o cérebro interprete o treino como algo apenas negativo. Estabeleça metas de curto prazo e sinta a sensação de prazer que atingi-las traz. Divida isso com as pessoas de seu convívio e verás que você terá muito mais motivação para continuar treinando. Não por nada, a palavra motivação é derivada de motivo! Ou você já viu algum infartado que tem medo da morte não se exercitar? A rotina deles geralmente não muda, o que muda são os motivos.

Resumindo, quem manda no seu cérebro é você e quem tem que lidar com as sabotagens dele é VOCÊ! Ficar a mercê destes sentimentos é estar fadado (a) ao fracasso. Por isso, mostre quem manda e vá treinar! Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!